Personalidades de Muriaé – Padre Tiago



Jacobus Adrianus Sigfridus Prins, o Padre Tiago, nasceu na cidade de Voorhout, na Holanda, no dia 29 de janeiro de 1930, filho de família tradicional, que vivia da produção rural. “Infância feliz”, dizia, para descrever seus primeiros anos e suas vivências em uma família numerosa, ao lado de oito irmãos. Além das brincadeiras típicas, o padre recordava que com seis anos de idade frequentava a escola e, desde o primeiro ano de ensino, já lia.

Entrou para o seminário no dia 01 de setembro de 1942, sendo ordenado sacerdote no dia 04 de setembro de 1955. Sempre pensou em ser missionário no Brasil, mas ficou um bom tempo na Holanda como professor de francês e de história no próprio seminário. Foi um convite da Congregação dos Missionários do Sagrado Coração de Jesus que fez com que Padre Tiago viesse para cá. Com isso, ainda na Holanda, começou a estudar por conta própria o idioma português.

A mudança para o país, em 1962, trouxe alguns impactos sociais, como observar que as crianças iam para a escola aos sete anos de idade e algumas caminhavam descalças. Os contrastes da sociedade e a vontade de erguer a fé cristã nos arredores do Seminário fizeram com que surgissem os primeiros empreendimentos de Padre Tiago. Com o crescimento da população de Juiz de Fora, cidade onde se encontrava, e o surgimento de novos bairros, decidiu, então, construir capelas e igrejas.

Após 25 anos na cidade mineira, foi nomeado superior regional do Rio de Janeiro. Lá, construiu a Igreja Santa Clara, em Jacarepaguá. Em 1991, foi nomeado vigário da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no bairro do Porto, em Muriaé. Chegando aqui, encontrou tudo pronto, mas, andando pelas ruas da Paróquia, em especial as do bairro Santa Terezinha, viu a necessidade do povo, principalmente, com relação a moradias que eram precárias e aos cidadãos que ainda pagavam aluguel pelo casebre. Nesse ano, começava uma nova etapa na vida religiosa, com o surgimento do Projeto Pró-Moradia. “Em Muriaé, Deus tinha casa, porém, os filhos de Deus não”, resumia. E, foi assim que começaram seus primeiros passos rumo à concretização do projeto social.

Padre Tiago, então, uniu forças e distribuiu responsabilidades: a Prefeitura de Muriaé cederia o terreno e a infraestrutura; empresas e moradores de Muriaé pagariam o material; os beneficiados construiriam as casas em regime de mutirão, orientados por técnicos; e, foi formada uma Diretoria.

Nos 18 anos do projeto, mais de 600 famílias foram beneficiadas. Com a ajuda de doações nacionais, internacionais e de moradores da cidade, foram construídas habitações em localidades, como o bairro Marambaia, Vale Verde e São Joaquim. Além do projeto habitacional, um centro de leitura foi implantado, em 2009, no bairro Marambaia, hoje, bairro Padre Tiago. O projeto é uma entidade reconhecida de Utilidade Pública Municipal, Estadual e Federal e recebeu o Certificado de Entidade Filantrópica.

No dia 22 de maio de 2010, recebeu o título de “Cavalheiro” pela Ordem da Rainha da Holanda, Beatriz Guilhermina Armgard (Beatrix Wilhelmina Armgard). O título Orde Van Oranje-Nassau foi entregue em Muriaé pelo Cônsul Geral da Holanda no Brasil.

Infelizmente, não resistiu ao quadro clínico de insuficiência respiratória, decorrente de pneumonia, choque séptico e hemorragia alveolar, causado por um linfoma com transformação leucêmica. Até ele estava como pároco no distrito de Itamuri, a 18 quilômetros de Muriaé.

Padre Tiago faleceu no dia 22 de junho de 2010, no Hospital do Câncer da Fundação Cristiano Varella, em Muriaé. Ele foi velado na Matriz São Paulo e foi sepultado na cidade de Juiz de Fora. Partiu deixando saudades a amigos e admiradores.

Fonte: João Carlos Vargas e Flávia Alves Junqueira / Memorial Municipal

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.