Inquérito civil público questiona a existência de dois conselhos utilizando o mesmo CNPJ em Muriaé



Inquérito civil público questiona a existência de dois conselhos utilizando o mesmo CNPJ em Muriaé

O Ministério Público de Minas Gerais, através da 7ª Promotoria de Justiça de Muriaé, instaurou, em 17/07/2012, um inquérito civil público, a partir de representação da Associação dos Amigos de Muriaé (AAMUR), em que, de acordo com os autos, “questiona o regular funcionamento e gestão de recursos por parte do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Setor de Confecções de Muriaé e do CONDESC – Conselho de Desenvolvimento Econômico, Social e Cultural de Muriaé e Região“.

Segundo os autos, “a documentação juntada permite concluir pela coexistência, ao menos formal, de dois conselhos. Há, ainda, notícias de convênios com o Estado de Minas Gerais e outros entes públicos, a serem analisados oportunamente”.

O Senhor Promotor de Justiça, Doutor Marcelo Schirmer Albuquerque, pode concluir, de posse da documentação juntada, pela coexistência, ao menos formal, de dois conselhos, sendo eles:

  1. O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Setor de Confecções, foi regularmente criado pela Lei 2.854/03, substituída pela Lei 3.274/06 e é órgão (e não pessoa jurídica) deliberativo e normativo de caráter público. O referido Conselho obteve o CNPJ 06.329.392/0001-13, expressamente referido na Lei 3.453/2007 que, de forma claramente dispensável, o reconheceu como de utilidade pública;
  2. O Conselho de Desenvolvimento Econômico, Social e Cultural de Muriaé e Região (denominado CONDESC em seu próprio estatuto) é pessoa jurídica de direito privado e foi cadastrado junto a Receita Federal em 6 de Outubro de 2003 com o CNPJ 06.329.392/0001-13 (o mesmo atribuído ao Conselho de Confecções pelo Município).

Como diligências iniciais, foram requisitadas do Município de Muriaé e ao CONDESC várias informações, dentre as quais se destacam:

  • Esclarecimentos sobre: (i) “identidade de CNPJs entre os dois Conselhos e a promulgação de uma Lei visando à extinção de uma associação privada”; (ii) “qual conselho foi pretensamente extinto pela Lei 4.272/12”; (iii) “os motivos da retroatividade da Lei nº 4.272/2012”, etc.;
  • Apresentação de decretos, atos constitutivos, atas de assembléias, regimento interno, relatórios, balanços, título de propriedade, contrato de aluguel ou de comodato, prestação de contas, etc.

O inquérito tem prazo de 1 (um) ano para ser concluído, podendo ser prorrogado.

O texto integral do inquérito está disponível em:

https://docs.google.com/file/d/0ByblPHalbhFeRl9wTlh5T0p2MU0/edit

Via AAMUR.

Últimas notícias em vídeo



3 comentários para “Inquérito civil público questiona a existência de dois conselhos utilizando o mesmo CNPJ em Muriaé”

  1. Jackson says:

    A justiça tarda mas não falha. Podia ter incluído ai investigação na câmara municipal que aprova lei sem inteiro conhecimento de causa e também ao Prefeito Municipal que sanciona lei, sem ao menos le-la. De qualquer forma ficou a suspeita dos atos cometidos, fizerma a lei às pressas e às escondidas, mas a fizeram errado. Certamente para encobrir um erro maior, que pode advir das investigações.
    Parabéns ao MP, na pessoa de Sua Excelencia, Dr. Marcelo Schirmer Albuquerque. Fez nos crer que a justiça em nossa cidade não dorme.

  2. JOSE ANACLETO DE FARIA says:

    Parabéns, Sandro, por este gesto de cidadania em prol da Associação dos Amigos de Muriaé – AAMUR e, consequentemente, de toda a população muriaeense.

  3. Profª Ana Lúcia says:

    De acordo com os princípio da Legalidade e Moralidade, espera-se que órgãos possam agir em nome e respaldado pela Lei.Como cidadã, estarei ansiosa, esperando a conclusão do Inquérito Cívil. Parabéns MP!

Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.