Governador convoca mineiros para erradicar a dengue no Estado



Dengue

O período chuvoso se aproxima e, com ele, aumentam-se os riscos de se contrair a dengue, uma doença grave que pode causar a morte. Nos últimos dois anos, Minas Gerais se tornou mais uma vez referência para o Brasil ao diminuir exponencialmente os números de casos da doença. Mas os bons resultados não podem desmobilizar a população. O risco é contínuo e o trabalho de prevenção tem que continuar.

É o que alerta o governador Antonio Anastasia no programa Palavra do Governador desta semana em que o Governo de Minas lançou a campanha “Dengue: tem que acabar! É hora de todo mundo agir”.

“Como essa época é de preparo, esta campanha está sendo lançada. A dengue tem que acabar! Nós começamos o período da chuva nesse momento e vamos trabalhar firmes para que, no início do ano que vem, quando a chuva terminar, nós tenhamos condições de diminuir ainda mais o número dos casos de dengue em nosso Estado. Não podemos deixar nenhum tipo de recipiente que possa acumular água parada, porque isso permite a larva do mosquito da dengue germinar e no futuro isso vai trazer mais problemas”, alerta Anastasia.

O Governo de Minas quer fazer com que os casos e mortes por dengue diminuam ainda mais. Para isso, explica o governador, o poder público está tomando suas ações, mas é preciso a atenção e mobilização conjunta de toda a sociedade.

“O próprio cidadão tem vários métodos para ajudar nesse combate, especialmente, quando leva a notícia à Prefeitura Municipal, ao Governo do Estado, de onde há suspeita de um foco de dengue. Porque, como nós sabemos, esses focos não estão nas ruas e nas praças. Estão, na maior parte das vezes, dentro das casas das pessoas e o poder público não tem conhecimento. Por isso, é fundamental que essa vigilância ocorra, que toda a sociedade trabalhe irmanada, de maneira harmônica, para nós combatermos a dengue”, ele afirma.

Nos últimos anos, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o trabalho em conjunto entre o Governo do Estado, os municípios e a sociedade como um todo, fez como que o número de casos de dengue diminuísse muito. Em 2010, foram notificados 267.241 casos de dengue em todo o Estado, número que caiu para 66.565 em 2011 depois do lançamento da campanha “Dengue: Agora é Guerra!”.

“Nós tivemos no ano de 2010 um grande pico de dengue em Minas e em outros estados da Federação. Aqui em nosso Estado nós iniciamos naquele ano um grande movimento, um movimento cívico, uma verdadeira guerra. A campanha lançada naquele momento teve exatamente essa denominação: Agora é Guerra. Por que motivo? Nós já percebemos que as pessoas sabem dos riscos da dengue, conhecem como a doença ocorre e o que devem fazer para preveni-la. Mas havia falta da mobilização. Houve então um grande esforço do Governo, juntamente com a sociedade”, lembra Anastasia.

Mas, segundo o governador, os bons números não podem esconder os problemas que ainda existem. Por isso, nesta edição do Palavra do Governador, Anastasia lança um desafio para a sociedade: “Nós queremos erradicar a dengue, trabalhar firmes para que ela não ocorra mais. É muito importante, portanto, que todas as famílias, as pessoas, cada vez mais, se conscientizem que o combate à dengue deve ser permanente”.

O Palavra do Governador pode ser reproduzido por qualquer veículo de imprensa, sem ônus. O programa é disponibilizado todas as quintas-feiras nas modalidades em texto, áudio e vídeo (em qualidade HD).

Fonte: Agência Minas

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.