Falta de projetos municipais prejudica medidas de prevenção de enchentes em Minas Gerais



Enchente em Muriaé

A limitação de recursos de municípios para criarem projetos foi apontada como ponto crítico para implantar medidas de prevenção a desastres causados por chuvas no Estado, em reunião da Comissão Especial das Enchentes, nesta terça-feira (13), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. A comissão, ao encerrar seus trabalhos, aprovou o relatório final do deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), que traz recomendações aos poderes e órgãos públicos sobre temas como financiamento, levantamento de áreas de risco e vistorias em barragens.

O relator afirmou que a falta de recursos nos municípios tem impedido a elaboração de projetos de prevenção e a atuação do poder público municipal após a ocorrência de desastres. Os novos prefeitos nem sempre têm orientação para criarem esses planejamentos e acabam não recebendo os recursos necessários para evitar os desastres, ressaltou o deputado Dalmo. Uma das ações solicitadas pelo parlamentar é o maior apoio aos municípios por parte do governo federal, treinando-os a elaborar projetos e planos de trabalho.

O presidente da comissão, deputado Arlen Santiago (PTB), criticou o repasse de recursos do governo federal ao Estado para melhorar estradas, e questionou a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), um dos impostos que compõem o Fundo de Participação dos Municípios. O parlamentar acrescentou ainda que, apesar de ter sido repreendida após sua criação, a comissão cumpriu seu papel de levantar o problema e provavelmente existirá em 2013. O deputado Doutor Wilson Batista (PSD) também indagou quanto à destinação de recursos federais aos Estados e afirmou que o importante agora é entender porque muitas prefeituras não chegam nem a receber esses fundos.

“Existem recursos, tanto no Estado quanto na Federação, porém, não há preparação. O Governo do Estado, por exemplo, conseguiu dos recursos federais apenas 5% do montante disponível, porque era somente isso que tinha de projetos”, destacou o diretor da PRS Engenharia Consultiva, Paulo Antônio Moreira Avelar.

Dentre as sugestões feitas pelo relator, foi recomendado à Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da ALMG a realização de debate sobre o uso dos recursos na prevenção de enchentes; ao Governo do Estado que simplifique o processo de uso do Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (Fhidro) pelos municípios; aos municípios que incluam funcionários de carreira nas instâncias de Defesa Civil, para evitar as constantes mudanças na composição desses órgãos; e à União que amplie o prazo legal de 180 dias para dispensa de licitação de obras relacionadas às enchentes, em casos de emergência ou calamidade pública.

Também participaram da reunião a diretora de prevenção e emergência ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), Zenilde das Graças Guimarães Viola; a chefe de gabinete da Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM), Adriana Spagnon de Faria; o analista do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Márcio Otávio Figueiredo Júnior; e o capitão BM Giderson Neves.

Cartilha

Ainda na reunião, a comissão aprovou requerimento da deputada Liza Prado (PSB) para elaboração de cartilha explicativa para os municípios mineiros. O objetivo é criar um material que descreva as medidas a serem tomadas para prevenir enchentes e seus impactos, bem como os procedimentos necessários para a comunicação dos estados de emergência e de calamidade pública, entre outros.

Comissão

A Comissão Especial das Enchentes foi criada com o objetivo de proceder ao acompanhamento das obras de reconstrução das áreas afetadas por inundações e apresentar propostas para o enfrentamento dos problemas decorrentes do excesso de chuvas no Estado. Desde a sua criação, em 29 de março deste ano, a comissão realizou oito audiências públicas, com um total de 26 convidados, e aprovou quase 40 requerimentos de informações e providências ou convidando autoridades para debates.

Fonte: Assembleia de Minas

Últimas notícias em vídeo



2 comentários para “Falta de projetos municipais prejudica medidas de prevenção de enchentes em Minas Gerais”

  1. SEIS TÃO FODEO , MORO LONGE DISS ~~TONEMAE~~ -YAOFACE-

  2. brincadeiras a parte , infelizmente é isso que nós veremos de hoje endiante ..

Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.