Rede de Vizinhos Protegidos ganha versão online, ainda em fase de testes



Rede de Vizinhos Protegidos foi criada em 2004

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) está prestes a lançar uma nova ferramenta para combater a violência em Belo Horizonte. Com a versão online da Rede de Vizinhos Protegidos, a polícia mineira espera facilitar e dinamizar a comunicação com a comunidade, com o intuito de reduzir ainda mais os índices de criminalidade na capital.

A informatização do projeto busca atingir o público entre 17 e 40 anos, que frequenta constantemente as redes sociais e nem sempre tem tempo hábil para participar das palestras na comunidade, que tradicionalmente fazem parte do programa Rede de Vizinhos Protegidos. No ambiente virtual, a comunidade poderá trocar informações com os policiais, interagir com os vizinhos, entrar na sessão de denúncias anônimas, participar de fóruns, conferências e videoconferências.

O projeto está sendo conduzido por alunos do Cotemig, que foram orientados pela PMMG. “Os estudantes se interessaram pela iniciativa e são muito focados e dedicados. Na próxima semana, vamos começar a rodar o sistema em fase de testes,” destaca o comandantedo 34º Batalhãode Polícia Militar, tenente coronel Idzel Fagundes.

Segundo o Comandante Fagundes, o sistema servirá também para alertar a polícia e os vizinhos no caso de alguma ocorrência. “Se uma pessoa percebe a movimentação estranha na casa ao lado, pode usar a Internet para alertar a vizinhança e avisar, simultaneamente e em tempo real, a Polícia Militar”, exemplifica o tenente coronel. O sistema online entrará na fase de teste, inicialmente em Belo Horizonte, no 34º Batalhão.

Unidos contra o crime

A Rede de Vizinhos Protegidos foi criada em 2004, no 34º batalhão da PMMG, em Belo Horizonte, pelo próprio tenente coronel Fagundes, quando ele observou que 80 casas de uma rua próxima ao Anel Rodoviário eram alvo constante de assaltos.

“Pessoas que moravam lá há muitos anos não se conheciam, não conversavam e isso me chamou a atenção”, conta o tenete coronel, que resolveu agir e criar a iniciativa. Segundo o Fagundes, também havia um distanciamento muito grande da comunidade com a polícia. “Passamos de casa em casa, batemos na porta e chamamos a comunidade para participar”, lembra.

Com isso, as pessoas da rua passaram a se conhecer melhor e a aderir à iniciativa. Pouco tempo depois, estratégias de proteção aumentaram e as ruas transversais também passaram a participar. “Isso criou uma sensação de pertencimento nas pessoas, que passaram a cuidar da rua, outrora muito mais deserta”, destaca o Comandante.

Para aderir à rede, os moradores procuram a Polícia Militar, que vai até a localidade e realiza uma série de reuniões com a comunidade. Esses encontros funcionam como um tipo de treinamento e mobilização, para que as pessoas se familiarizem com o programa e com questões ligadas à segurança pública, além de se relacionarem com seus próprios vizinhos. As casas e prédios que fazem parte da rede recebem uma placa informando que aquele local é monitorado.

A Rede de Vizinhos Protegidos se tornou em um projeto rotineiro da PMMG, que já está presente em todas as regiões de Belo Horizonte e em mais de 1.000 bairros de todo o Estado. Somente na capital, a iniciativa atende cerca de 70 mil pessoas. “A previsão é de atender mais de 100 mil pessoas daqui seis meses”, vislumbra Fagundes.

Crimes como assalto à mão armada a transeuntes, roubos a estabelecimentos comerciais, prédios e residências e arrombamento de veículos apresentaram reduções em suas ocorrências nos locais que aderiram à rede, de acordo com a PM.

Como participar da Rede de Vizinhos

O cidadão interessado em inscrever sua rua ou bairro na Rede de Vizinhos Protegidos deve procurar o batalhão da PMMG mais próximo.

Para quem já aderiu à iniciativa, a Polícia Militar pode ser acionada, por meio de celulares, que ficam com os coordenadores de turnos de serviços, no sistema 24h, pelo 190 ou pelo Disque-Denúncia 181.

Fonte: Agência Minas

Últimas notícias em vídeo



Um comentário para “Rede de Vizinhos Protegidos ganha versão online, ainda em fase de testes”

  1. Miriam says:

    O “Rede de Vizinhos Protegidos” funciona em Muriaé no Bairro João XXIII. Minha irmã mora lá e comprova que realmente funciona! As casas possuem a placa mostrada acima. A segurança no local melhorou realmente.
    PARABÉNS!!!

Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.