Homem recebe multa de R$ 53 mil por divulgação de pesquisa eleitoral em Cataguases



Pesquisa eleitoral em Cataguases

A juíza Eleitoral Christina Bini Lasmar, proferiu sentença no domingo (16) referente à Representação Eleitoral nº 924.79.2012.6.13.0079 que tem como réus Roberto Carlos Carrara Theodoro e Coligação “Cataguases do seu jeito”, por divulgação de pesquisa eleitoral referente à eleição para prefeito de Cataguases, que não foi registrada na Justiça Eleitoral.

No dia 13 último, a Justiça Eleitoral em Cataguases havia concedido uma Liminar ordenando a retirada imediata de uma pesquisa eleitoral falsa publicada na página pessoal do site de relacionamento Facebook de Beto Carrara, cujo nome completo é Roberto Carlos Carrara Theodoro sob pena de multa diária. A representação é de autoria da Coligação Juntos por Cataguases.

Na tarde de domingo, a sentença da Juíza Eleitoral, Christina Bini Lasmar, foi publicada no Cartório Eleitoral de Cataguases condenando Beto Carrara ao pagamento de multa no valor de R$ 53.205,00 e também a colocação em sua página pessoal do Facebook, de uma nota explicativa durante sete dias. A juíza também inocentou o segundo representado de qualquer responsabilidade por “completa ausência de provas de que a Coligação “Cataguases do seu Jeito” teve conhecimento, concordou ou mesmo foi conivente com a publicação realizada pelo 1º representado, repise-se, em sua página pessoal do Facebook”, escreveu em sua sentença a magistrada.

Os advogados de Beto podem recorrer ao TRE-MG. Até o fechamento desta matéria nossa reportagem não localizou a página de Beto Carrara no Facebook. Leia, abaixo, a transcrição de parte da sentença da juíza Christina Bini Lasmar em que condena Roberto Carlos Carrara Theodoro pela divulgação irregular de pesquisa eleitoral inexistente.

…condeno o 1º representado, Roberto Carlos Carrara Theodoro no pagamento de multa no mínimo legal de R$ 53.205,00 (cinqüenta e três mil duzentos e cinco reais), pela divulgação irregular de pesquisa eleitoral inexistente/ sem o prévio registro na Justiça Eleitoral, determinando, ainda, que se abstenha de postar a pesquisa inexistente/sem registro e/ou promover a sua divulgação impressa, devendo retirar aquela já publicada de sua página pessoal da rede social facebook, tornando definitiva, assim, a medida liminar inicialmente deferida.

Determino, ainda, ao 1º representado que publique nota explicativa em sua página da rede social facebook, devendo a mesma ficar disponível por 7 dias, a partir da intimação desta sentença, constando os seguintes dizeres: “NOTA EXPLICATIVA: POR DETERMINAÇÃO DA 79ª ZONA ELEITORAL – CATAGUASES, ESCLAREÇO QUE A PESQUISA ELEITORAL REFERENTE À ELEIÇÃO MAJORITÁRIA DE CATAGUASES PARA O PLEITO DE 2012, VEICULADA NESTA PÁGINA NO DIA 06.09.2012, NUNCA FOI REALIZADA E TAMPOUCO REGISTRADA JUNTO À JUSTIÇA ELEITORAL”, sendo certo que no período da divulgação da nota explicativa, o perfil do 1º representado junto ao facebook deverá permanecer disponível ao público, sem qualquer restrição, tal como ocorreu quando da divulgação da pesquisa inexistente/sem registro, tudo sob pena de incidência de multa de R$20.000,00 (vinte mil reais).

Fonte: Marcelo Lopes

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.