Linhas de crédito estaduais fomentam o desenvolvimento na Zona da Mata



A CEO Software de Juiz de Fora utilizou o financiamento do banco para impulsionar os negócios

De janeiro a agosto deste ano, R$ 41,8 milhões foram disponibilizados por linhas de crédito do Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais (BDMG), para ajudar a fomentar a economia na Zona da Mata. O valor beneficiou pessoas físicas, prefeituras e empresas (micros e pequenas, médias e grandes). Mais da metade, R$ 22 milhões, foram direcionados para as MPEs, que têm faturamento bruto anual abaixo de R$ 10,5 milhões.

Uma delas, a CEO Software, sediada em Juiz de Fora há 18 anos, utilizou o financiamento do banco para impulsionar os negócios. “A CEO Software é uma empresa que preza a evolução constante, seja ela tecnológica, mercadológica ou ate mesmo fiscal. O crédito do BDMG veio em um momento muito oportuno, custeando novos projetos de demanda fiscal e também no investimento de uma nova base em Vitória (ES)”, relata o empresário Paulo Cesar Rodrigues Junior.

Para ele, o investimento também ajudou a melhorar os serviços e fidelizar os clientes. “Conseguimos oferecer um serviço a tempo e a hora, de acordo com a legislação vigente, estando à frente inclusive de alguns concorrentes. O retorno deste investimento se deu pela continuidade, tranquilidade e segurança de clientes efetivos e também de novas oportunidades”, comenta. A CEO possui 35 funcionários e cerca de 200 clientes ativos.

As condições de financiamento foram essenciais para que Paulo Cesar optasse pelo BDMG. “Escolhi o banco devido às taxas que são reduzidas e também pela segurança e praticidade de fazer tudo pela internet”, destaca.

Cláudia Wischanesky é proprietária de uma agência de turismo em Juiz de Fora há 21 anos e também já utilizou as linhas de crédito do BDMG, por duas vezes, sempre com foco na expansão. “A primeira vez foi há quatro anos, para comprar a franquia, e a segunda foi em 2011, para expandir. Aumentamos o tamanho físico da empresa e o número de pessoas trabalhando”, diz. Hoje, a agência tem dez funcionários.

Cláudia conta que escolheu o BDMG devido às opções de financiamento. “Os programas são compatíveis com a realidade de uma empresa pequena, prestadora de serviços. A taxa de juros também estava dentro do que a empresa permitia pagar”, lembra. Segundo ela, ampliar ainda mais o negócio está nos planos. “A expectativa é sempre de crescer, já está em andamento um novo plano para expansão”, revela.

Banco investe na dinamização da economia

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) foi constituído em 1962 e, este ano, comemora 50 anos de atuação. Como banco público de fomento, apoia empreendimentos que contribuem para o desenvolvimento, para a dinamização da economia local, regional ou estadual, e para a geração de oportunidades, emprego e renda. Esse apoio se dá por meio de financiamentos ao setor produtivo, tanto para investimentos quanto para capital de giro, e também ao setor público municipal, principalmente em projetos de infraestrutura urbana e desenvolvimento institucional.

O presidente do BDMG, Matheus Cotta, informa que o banco tem procurado ampliar sua base de atuação. “O BDMG sempre esteve voltado para empreendimentos de maior vulto no Estado. Já nos últimos anos o Banco tem procurado criar estruturas que permitam a ele estar mais presente em todo o interior de Minas, por meio de financiamentos para os empresários em geral, inclusive os do segmento de micro e pequenos empreendimentos. Isso é uma percepção de que o BDMG pode fazer mais com os mesmos recursos disponíveis”, observa.

De acordo com ele, o banco está aberto a todos os segmentos da economia mineira, sem fazer distinção da região, setor ou porte do negócio. “Queremos atuar fortemente no comércio varejista, o agronegócio e a indústria, sendo acessíveis e ágeis ao fomentar a economia do estado”, declara. A elevação da base de clientes de 2011 para 2012, em 50%, demonstra a postura mais acessível e inovadora da instituição. “Hoje temos 12 mil clientes na carteira. Nossa meta é chegar em 2014 com 25 mil”, afirma o presidente.

Este ano, o BDMG espera desembolsar R$ 1,6 bilhão, montante recorde e 23% superior ao total de 2011, focando na promoção do desenvolvimento sustentável e inclusivo, por meio de ações e projetos de modernização e diversificação do setor produtivo estadual, com atenção especial à inovação.

Fonte: Agência Minas

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.