Nova lei beneficia produtores de leite da região



Nova lei beneficia produtores de leite da região

Uma nova lei vai permitir ao produtor de leite negociar com a indústria: O pecuarista vai poder optar pela empresa que pagar mais pelo litro do produto.

A legislação atende a um pedido antigo dos produtores do país: saber o preço do leite antes da venda. Atualmente, a prática mais comum é a da cotação do valor mais de um mês depois que o produto foi vendido. Sem essa previsão, fica difícil planejar novos investimentos e controlar os gastos para ter lucro. A partir de agora, os laticínios devem informar até o dia 25 do mês anterior à entrega. Para o sindicato rural de Muriaé, este é o começo de um acordo.

A região de Muriaé concentra uma das maiores bacias leiteiras de Minas Gerais, com uma produção que chega a 1 milhão de litros por dia. Apesar disso, esta realidade está mudando: alguns produtores já estão desistindo dos negócios e somando os prejuízos.

Na propriedade do produtor rural Sigmar José Barbosa as perdas chegaram a R$2 mil por período de ordenha. Ele reduziu o número de vacas por causa do valor dos insumos e a contratação de mão de obra.

Sigmar destaca que a nova lei pode beneficiar o produtor ao abrir concorrência entre as empresas, mas que ainda não existe um valor mínimo que possa ser negociado.

Minas Gerais concentra 70% dos laticínios do país. Apenas uma das empresas de Muriaé compra 10 mil litros de leite por dia. O produto se transforma em doces e em iogurte. Para manter a qualidade, as amostras passam por análises de acidez e de gordura.

Quanto maior a qualidade, melhor pode ser o preço pago pelo litro. De acordo com o empresário Édimo da Silva Alves, o mercado exigente dita o valor.

A não informação implicará à empresa o pagamento do maior preço praticado no mercado.

Assista a reportam completa da TV Integração:

Fonte: Mega Minas

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.