Oficiais da PM discutem migração do crime organizado do RJ para MG



Nessa quinta-feira (18), o comandante do 6º Comando de Policiamento de Área (6º CPA), coronel Lucio Flavio Baracho de Sousa, compareceu no município de Pedra Dourada, atendendo o convite da 4ª Região da Policia Militar de Minas (4ª RPM) e palestrou sobre “O Crime Organizado no Estado do Rio de Janeiro (capital e interior) e sua Possível Migração para o Estado de Minas Gerais”.

Ao longo do dia, diversos assuntos relacionados a segurança pública foram discutidos a fim de melhor entender as necessidades das divisas dos Estados, além de solucionar possíveis óbices decorrentes ao cotidiano. O comandante do 6º CPA iniciou sua palavra demonstrando o que a PM representa geograficamente no âmbito estadual e suas sub-divisões dos Batalhões subordinados distribuídos na região Norte e Noroeste do Estado do Rio de Janeiro.

Discursou ainda sobre as principais facções criminosas que atuam hoje nas comunidades cariocas e seus ramos no interior, acrescentou que os municípios de Campos dos Goytacazes e Macaé são os mais populosos da região e demonstrou o empenho dos trabalhos ostensivos realizados nessas áreas através do demonstrativo de produtividade das Unidades Subordinadas (como apreensão de armas e drogas), com o objetivo garantir a integridade física da população e a prevenção de delitos de acordo com a mancha criminal de cada localidade.

A 6ª Região Integrada de Segurança Pública (6ª RISP) encontra-se em primeiro lugar no Estado do Rio de Janeiro em relação ao sistema integrado de metas do primeiro trimestre de 2017, o que significa que os trabalhos exercidos de forma árdua estão gerando resultados positivos e gratificantes.

Foi apresentado também a PMMG o vídeo sobre o ISP-GEO, uma ferramenta desenvolvida pela Secretaria de Segurança para auxiliar no acompanhamento das ações criminais através de planejamento de dados para locação mais eficiente de recursos por meio de georeferenciamento.

Através da BR 356 e BR 101, o Rio de Janeiro faz divisa com o estado Mineiro, portanto é essencial a integração policial devendo, portanto, ser entendida como uma política complexa que varia de um estado para outro, dependendo de inúmeros fatores na sua implementação, mas sendo exercida de forma conjunta para melhor atender as necessidades da população.

Representando o Estado de Minas Gerais, encontravam se presentes no evento: coronel Alexandre Nocelli, comandante da 4ª RPM; tenente-coronel Lucio Mauro Campos Silva, comandante do 21º BPM; tenente-coronel Marco Antônio Rodrigues de Oliveira, comandante do 2º BPM; tenente-coronel Oterson Luís Nocelli, comandante do 27º BPM; tenente-coronel Joedson Floriano Gomes, comandante do 47º BPM; tenente-coronel Giovani do Carmo, comandante da 6ª Cia; tenente-coronel Paulo Henrique, comandante da 4ª Cia; tenente-coronel Wallace Brandao, comandante da 10ª Cia; tenente-coronel Robson Garrido de Paiva, CHEM; major Arlindo Florindo, comandante da 75ª Cia PM; major Marcellus de Castro, P5 da 4ª RPM; e capitão Robson Pagy Brage, sub-comandante da 4ª Cia.

Comandantes de Unidades da PMERJ: comandante do 6ª CPA, coronel Lucio Flávio Baracho de Sousa; tenente-coronel Fabiano Santos de Souza, do 8º BPM; tenente-coronel João Carlos Alves Ribeiro, do 29º BPM; coronel Marco Aurélio Ciarline Guarabyra Vollmer, do 32º BPM; e tenente-coronel Leandro de Miranda Queiroz, do 36º BPM.

Fonte: PMMG

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.