Câmara Técnica de Saúde agiliza atendimento e gera economia aos cofres públicos



Em funcionamento desde junho deste ano, a Câmara Técnica já gerou uma enorme economia aos cofres públicos relativos aos processos judiciais na área da saúde. A previsão é de que, até o final do ano, seja economizado aproximadamente R$ 1 milhão, valor que poderá ser revertido em melhorias na cidade e também em outros setores da Saúde. Além disso, o projeto inédito, em Muriaé, criado pela Prefeitura, agiliza atendimento aos muriaeenses e diminui a judicialização da saúde, que é a busca da população para obtenção do medicamento ou tratamento não ofertado pelo SUS.

Luzia Carneiro, de 81 anos, moradora do bairro São Cristóvão, necessitava fazer uma cirurgia de catarata no olho esquerdo. Através da Câmara Técnica de Saúde, ela pôde realizar o procedimento em uma semana após a perícia – Luzia foi operada no dia 22 de agosto. “A cirurgia foi um sucesso. Agora minha mãe está enxergando muito bem, o que não estava acontecendo antes. Toda a nossa família está muito satisfeita e agradecida com este resultado, que gerou um grande bem-estar para ela e felicidade para todos nós, ao vê-la bem”, relata o filho, Evandro Carneiro.

Localizada no 1º andar do Centro Administrativo, a Câmara Técnica é formada por uma equipe multidisciplinar, composta por três médicos, dois farmacêuticos, uma assistente social, uma psicóloga, uma nutricionista, um assessor jurídico e um coordenador-geral, que dá apoio, através de laudos técnicos, ao Poder Judiciário e à Defensoria Pública nos procedimentos e tratamentos requisitados pela população. A equipe analisa as demandas relacionadas ao SUS e à seleção, prescrição e distribuição de medicamentos.

Economia com câmara técnica pode ser investida em outras áreas relevantes

A judicialização da saúde tem sido cada vez mais recorrente no Brasil e, em particular, em Muriaé, causando impacto nocivo e expressivo nas finanças municipais, gerando prejuízo às políticas públicas.

O prefeito Grego destaca os benefícios da Câmara Técnica de Saúde para os muriaeenses e para a Administração, como a agilidade no atendimento e a economia aos cofres públicos. Grego frisa ainda que os direitos da população aos serviços de saúde estão preservados e aproveita para agradecer o apoio e o empenho do Poder Judiciário, Defensoria Pública e Ministério Público na criação deste projeto em conjunto com a Prefeitura.

“A judicialização da saúde vinha comprometendo significativamente a gestão em outras áreas relevantes, como a educação e a assistência social, por exemplo. Através da economia gerada por este projeto inédito na região, podemos investir esses recursos em outros setores, inclusive da própria Saúde, para melhorar os serviços públicos na cidade, para que, assim, Muriaé possa seguir um novo caminho”, frisa.

Fonte: PMM

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.