Conferência discute sobre judicialização da saúde em Muriaé



Profissionais da saúde se reuniram para discutir sobre um tema que tem sido cada vez mais recorrente na área: a judicialização da saúde. A 7ª Conferência Municipal de Saúde, promovida pela Prefeitura de Muriaé, aconteceu nessa quarta-feira (12), no Teatro Zaccaria Marques. O evento debateu os impactos que a procura do Poder Judiciário pela população para obtenção de medicamentos ou tratamentos negados pelo SUS tem provocado nos cofres públicos nos últimos anos, e também buscou soluções eficientes para a questão.

A primeira palestra foi ministrada pelo coordenador médico da Câmara Técnica de Saúde de Muriaé, o endocrinologista Cláudio Rogério de Oliveira. Ele explicou que o projeto da Câmara Técnica, criado pela Prefeitura e em funcionamento há um mês, analisa procedimentos relacionados ao SUS e à seleção, prescrição e distribuição de medicamentos, gerando um atendimento mais ágil aos muriaeenses e evitando a judicialização da saúde. O segundo tema, “Fortalecimento da atenção primária em conjunto com a Vigilância Sanitária”, foi apresentado pela mestra em Saúde Coletiva, Fabiana de Souza.

Ao final do evento, os grupos votaram as propostas que serão referência para a formação do Plano Municipal de Saúde, documento que vai direcionar as ações na saúde pública de Muriaé.

Conferência possibilita diálogo sobre rumos da saúde na cidade

Para o prefeito Grego, as Conferências Municipais são importantes para o bom funcionamento da gestão. Por meio dela, é possível avaliar a situação do município e propor melhorias para a saúde e para o atendimento aos muriaeenses. “É através de conferências como esta que nós podemos ouvir a população de forma ampla e organizada, para, juntos, construirmos uma nova saúde pública para Muriaé”, disse.

Fonte: PMM

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.