Aprovada lei que exige entrega com hora marcada



Aprovada lei que exige entrega com hora marcada

A Assembléia Legislativa de Minas Gerais aprovou em reunião ontem (12), em segundo turno, o Projeto de Lei 367/2011 (ex-Projeto de Lei 753/2007), de autoria do Deputado Sargento Rodrigues, que cria obrigações ao fornecedor de produtos e serviços de consumo de promover a fixação de data e hora para sua entrega e instalação. Ou seja, agora o cliente poderá indicar se prefere que o produto seja entregue na parte da manhã, da tarde ou da noite.

O direito de receber de acordo com a promessa do fornecedor já era assegurado pela lei federal 8078, que é Código de Defesa do Consumidor (CDC), mas vai ganhar mais força com a nova lei estadual.

Como escolher a data e o turno

Por meio de preenchimento de formulário próprio, no ato da compra, informando: Nome; Número de registro no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) ou Cadastro de Pessoa Física (CPF); Endereço; Telefone para reclamação: E-mail.

Via O Tempo.

Últimas notícias em vídeo



Um comentário para “Aprovada lei que exige entrega com hora marcada”

  1. Aéliton Amorim Bicalho says:

    Eu como empresário do ramo de comércio de móveis e que trabalhamos com entrega posterior a venda sou a favor da nova lei porém como será o procedimento em relação a entrega marcada com antecedência se a mercadoria for enviada ao cliente e ele não tiver em casa para o recebimento do produto? A empresa será obrigada a marcar outra data ou ficará a cargo do cliente buscar a mercadoria? E se empresa tiver que ir novamente na casa do cliente, quem arcará com o frete e custo da entrega?

    Pelo que eu li da lei ela só versa sobre responsabilidade da empresa e a do consumidor?

    Caso tenham alguma coisa sobre o assunto favor enviar via e-mail.

    Grato

    Aéliton Amorim Bicalho

Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.