Campanha quer reduzir número de acidentes de trânsito entre festas de fim de ano e carnaval



Operação Integrada Parada-Rodovida

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, participou hoje (15) de uma blitz no Trevo das Margaridas, no início da Via Dutra, marcando o início da ação integrada que visa a reduzir o número de acidentes de trânsito nas rodovias federais, entre os dias 15 de dezembro de 2012 e 13 de fevereiro do próximio ano. No período, que abrange as festas de final de ano e o carnaval, o número de vítimas de acidentes nas estradas costuma aumentar de forma considerável.

A Operação Integrada Parada-Rodovida terá ações de conscientização e fiscalização desenvolvidas pelos ministérios das Cidades, Saúde, Justiça e Transportes. A ação faz parte do Parada – Um Pacto pela Vida, lançado pelo governo brasileiro em resposta à decisão da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir em 50% o número de mortes no trânsito no mundo, durante a década de 2011 a 2020.

O ministro das Cidades disse que a operação mostra o respeito que o governo brasileiro tem à vida. “É uma sinalização muito clara de que nós queremos reduzir esses acidentes, queremos mudar essa realidade de vermos muitos brasileiros perdendo a vida em um momento de congraçamento que é o fim do ano, que deve ser um momento de celebração das famílias e a gente não quer ver festa virar tragédia.”

Para Ribeiro, as pessoas precisam ter um comportamento mais maduro, de responsabilidade, de prudência, de entender que cada segundo pode ser fatal. “O que nós queremos mostrar [com a campanha] é que uma vida vale muito. Você não pode ter a irresponsabilidade de beber e pegar um carro para conduzir a sua família, seus parentes, as pessoas que você mais ama, ou ser um instrumento de destruição de outras famílias que você não conhece, mas que, ao dirigir um carro alcoolizado, você certamente está pondo em risco.”

O ministro destacou que o pacto para redução de acidentes nas estradas segue durante os anos de 2013 e 2014. Aguinaldo Ribeiro disse que o número de acidentes nas estradas registrou uma redução de 18% no ano passado em relação a 2010. Já o número de mortes diminuiu 27,5% no mesmo período.

Durante a cerimônia na Via Dutra, o ministro Aguinaldo Silva fez a entrega de 1 milhão de bafômetros doados ao governo federal pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros e pela Federação Nacional das Empresas de Seguros para serem usados nas ações nas estradas.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) fará operações nos pontos mais críticos das rodovias brasileiras. Nesses locais foram registrados 27,6% dos acidentes e 11% das mortes ocorridos de janeiro a setembro de 2012.

O índice de gravidade, que classifica os trechos críticos, é baseado em estudos realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a PRF. O foco principal das ações será no combate à embriaguez ao volante e na fiscalização de motociclistas. A Polícia Rodoviária Federal também ampliará a fiscalização de excesso de velocidade e ultrapassagens em locais proibidos.

O Ministério da Saúde vai intensificar as ações do projeto Vida no Trânsito em todas as capitais e também em Campinas e Guarulhos, em São Paulo. O projeto unifica o sistema de informação sobre acidentes no trânsito para qualificar os dados com a finalidade de detectar os principais problemas e elaborar políticas públicas mais eficientes. O banco de dados do projeto reúne informações sobre acidentes de trânsito e vítimas – como feridos graves e mortes.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), órgão do Ministério dos Transportes, tem em operação nas rodovias federais 1.180 equipamentos eletrônicos controladores de velocidade como barreiras eletrônicas, pardais (radares), controle de avanço de sinais, parada sobre a faixa e controle de velocidade. A previsão é fechar o ano de 2012 com 1.650 equipamentos em operação e ampliar esse número para 2.696, em 2013.

Fonte: Agência Brasil

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.