Crianças necessitam de cuidados especiais durante as viagens de carro no verão



Passeio deve ser bem planejado, a vistoria do automóvel deve estar em dia e a alimentação e a hidratação merecem a atenção dos pais

Durante as festas de fim de ano e férias de verão, muitos carros vão para a estrada. Com isso, os cuidados com a segurança dos automóveis tornam-se fundamentais, sobretudo nas famílias que possuem crianças. Em viagens, principalmente as de longa duração, os pequenos precisam de bastante zelo para que possam chegar ao destino sem estresses. Segundo a coordenadora de pediatria do Hospital João XXIII, Eliane Souza, o ideal é programar com antecedência paradas de duas em duas horas.

Uma viagem com crianças deve ser bem planejada: a vistoria do carro em uma oficina de confiança é primordial, em qualquer caso; definir o que será levado para alimentação e hidratação dos pequenos também é importante; além disso, deve-se verificar se o menor estará bem protegido durante o deslocamento, considerando que há um equipamento de segurança adequado para cada idade e peso.

De acordo com Eliane de Souza, pela fragilidade de sua estrutura física, uma batida forte pode ser mais perigosa para uma criança do que para um adulto, mas cada caso é particular: “são comuns em pessoas de menor faixa etária traumatismos cranianos e raquimedulares, lesões no abdômen, além de fraturas de membros”.

Segundo a pediatra, o cinto de segurança pode deixar machucados chamados de “tatuagem de cinto” dependendo da força da colisão, mas raramente ocasiona lesões mais graves: “Mesmo que a criança se lesione, as consequências serão infinitamente menores do que se ela estivesse sem o cinto”, ressalta.
O estudante Gabriel Costa, de sete anos, foi vítima de acidente de trânsito em estrada no último mês de outubro, quando o motorista do táxi em que estava tentou fazer uma ultrapassagem proibida e bateu em um caminhão. Gabriel, que estava no banco traseiro com o primo e a tia, não usava cinto de segurança.

Na ocasião, o motorista e o primo do estudante foram a óbito, e Gabriel teve traumatismo crânio-encefálico (TCE) grave e fraturas nos membros superiores e inferiores. A mãe do garoto, Lurdilene Costa, afirma que Gabriel ainda não se recuperou do acidente, tendo medo de entrar em veículos. “Nunca mais ele andará em um carro sem estar totalmente seguro”, frisa a mãe.

Cadeirinhas

Os equipamentos de retenção infantil são acessórios que se apoiam nas regiões mais resistentes do corpo da criança, evitando ferimentos em caso de uma colisão. Bebês de até um ano precisam ser afixados no bebê-conforto, que deve ser instalado de costas para o banco do motorista. Depois dessa idade, a cadeirinha já pode ser usada, mas de frente para o condutor.

Quando a criança fica muito grande para usar a cadeirinha, mas ainda pequena para sentar-se no banco, o assento de elevação, ou booster, é o adequado, considerando que é destinado a crianças maiores, acima de 16 quilos. O principal objetivo do equipamento é fazer com que o cinto passe de maneira correta pelo corpo da criança (pelo meio do ombro, centro do peito e sobre os quadris). Ao passar de 1.45m, ela já pode se sentar no banco traseiro usando apenas o cinto, pois já consegue firmar os pés no chão.

Alimentação em viagens

Para uma viagem de carro com crianças, é recomendável levar a comida de casa e tentar não se alimentar nas paradas de estrada. Eliane de Souza sugere que seja dada preferência a frutas de fácil digestão, como maçãs, pêras, e bananas. “Deve-se evitar alimentos com muito sal, como chips e salgadinhos, pois têm muito sódio e causam sede, além de possuírem gordura trans, o que pode causar mal estar”, explica a pediatra.

Também não devem ser ingeridos alimentos com leite, como iogurtes, pois tendem a fermentar, o que pode gerar indigestões, vômitos e diarreia na criança. Quanto à hidratação, água e sucos naturais são as melhores opções, podendo ser oferecidas ao pequeno durante todo o trajeto. Refrigerantes não são recomendados.

Distração

Para distrair os menores durante a viagem e evitar choro, estresse e perguntas como “quanto tempo falta para chegar?”, podem ser instalados DVD’s portáteis no veículo para eles assistirem a filmes infantis. Jogos para smartphones e tablets também podem ser uma boa ideia para as crianças maiores, mas não devem ser usados por muito tempo.

“Só pelo deslocamento do carro já há uma mudança de equilíbrio, portanto os games podem contribuir para que náuseas ocorram”, avisa Eliane. Outra sugestão são jogos de palavras, brincadeiras das quais toda a família pode participar e ainda estimulam a memória da criança.

Fonte: Agência Minas

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.