Governo de Minas paga parte da dívida e fornecimento de água nas escolas em Muriaé é parcial

Nessa segunda-feira (16), o Governo de Minas pagou parte da dívida que tem com o Departamento Municipal de Saneamento Urbano (DEMSUR), referente às contas de água das escolas estaduais de Muriaé, que estavam em atraso desde junho de 2017.

Desta forma, a autarquia já restabeleceu o fornecimento de água em algumas unidades de ensino, que estavam sem água desde a última sexta (13). Foram priorizadas as unidades que ainda não entraram de férias: Antônio Viçoso Magalhães, no bairro São Pedro; Governador Bias Fortes, bairro São Francisco; Columba Teixeira e Silva, no bairro São Cristóvão; Desembargador Canêdo, na Barra; Olavo Tostes, na Barra; Engenheiro Orlando Flores, no Dornelas; Julieta de Oliveira Macedo, no Planalto; Professor Gonçalves Couto, no Porto; e Silveira Brum, no Centro.

O DEMSUR ressalta que abastecimento não chegou a ser suspenso nas escolas dos distritos e na Escola Estadual Walter Vasconcelos, onde funciona a APAE.

A autarquia atualizou o débito do Governo do Estado, que era de R$ 500.984,37, somando também os débitos do Presídio do Safira e da 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil.

A dívida referente às tarifas das 21 escolas estaduais e da Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Muriaé era de R$ 354.457,40. Desse total, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) depositou R$ 215.795,20. Com o pagamento parcial do débito, a dívida do Governo de Minas com o DEMSUR passa a ser de R$ 138.662,20 referente às contas das escolas estaduais.

Segundo o DEMSUR, até o momento a SEE não informou a previsão de pagamento do restante do débito.

Restrição no fornecimento

Seguindo a recomendação do Conselho Municipal de Saneamento Urbano (COMSUR), durante o mês de julho, as demais escolas que tiveram o fornecimento suspenso serão abastecidas com 10% de sua média de consumo dos últimos 12 meses.

Após o término das férias escolares o fornecimento de água nas escolas estaduais será normalizado, porém o Governo de Minas será notificado sobre as demais contas em atraso. Caso a dívida não seja quitada em 30 dias, após a notificação, o DEMSUR aplicará medidas restritivas e o fornecimento de água nas escolas será limitado a 50% de seu consumo. Persistindo o débito após 60 dias, o abastecimento será restrito a 40% de sua média de consumo.

Presídio e Delegacia de Polícia Civil

O DEMSUR destaca que além dos R$ 138.662,20 referentes às escolas, o Governo de Minas ainda deve R$ 146.526,97 referentes às contas de água do Presídio e da Delegacia de Polícia Civil, totalizando R$ 285.189,17.

Fonte: DEMSUR


Um Comentário

Deixe uma resposta para CRISTIANO DOS SANTOS PEREIRA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre