Mostra Muriaé das Matas à Cidade



Mostra Muriaé das Matas à Cidade

O que hoje é transmitido nos veículos de comunicação e compartilhado pelas redes sociais em questão de segundos, há meio século era necessário ir ao cinema para ver o que ocorria no mundo – através dos cinejornais as pessoas se informavam sobre as notícias locais e do país. Mas os jovens atuais poderão conhecer mais sobre os cinejornais durante a Mostra Muriaé das Matas à Cidade, que também exibirá o filme homônimo de 1997.




A Mostra, composta pela exibição dos cinejornais e do documentário Muriaé das Matas à Cidade, terá exibições no Paço Municipal de Muriaé, direcionada às escolas municipais e no Grande Hotel Muriahe, aberto a todo o público. O público poderá assistir ao Cine Fatos, o cinejornal que registrou por mais de 30 anos a vida social e cotidiana dos muriaeenses, através de cerca de 20 matérias das décadas de 1960 a 1980, além de imagens da 7º Exposição Agropecuária de Muriaé, de 1951, o 5º Festival da Canção de Muriaé, da década de 1970 além de outros momentos marcantes da história da cidade.

Todo este acervo filmográfico se mantém vivo até hoje no museu “Carlos Scalla” nome dado pelo filho em homenagem ao pai que por anos produziu este rico acervo. Carlos Scalla foi sócio fundador da empresa que produzia e exibia os cinejornais e também foi o realizador do documentário Muriaé das Matas à Cidade. O documentário é uma importante ferramenta cultural e educativa para os jovens e pessoas que contribuíram o desenvolvimento da cidade, um orgulho para o cineasta: “Que o trabalho que realizei durante décadas com paixão e afinco a frente da Muriaé Filmes com o amigo Sylvio Gomes seja compartilhado pelas futuras gerações, afinal preservando o passado temos referências para construção de um futuro”, afirma Scalla.

E não apenas os jovens poderão ver na tela o passado da cidade. “como não lembrar dos desfiles cívicos, dos festivais da canção das pessoas que fizeram história em nossa cidade, como não ter saudade deste tempo”, declara o cineasta, que vai ver através desta mostra que está sendo produzida por seu filho, Bruno Scalla, que herdou do pai a paixão pelo cinema. “A mostra é dedicada aos saudosistas e aos jovens que poderão conhecer mais sobre nossa rica historia”, afirma o produtor. “Para mim, resgatar a história é manter a produção cinematográfica viva na cidade, é a reafirmar de nossa identidade cultural, é a marca de um povo e de uma época”.

A Mostra será lançada no Paço Municipal de Muriaé no dia 10 de agosto e será aberta para estudantes da rede municipal de ensino. Serão onze exibições no Paço Municipal sendo oito para estudantes e três para público em geral no dia 7 de setembro, logo após o Desfile Cívico e no dia 15 de setembro. O Grande Hotel Muriahe também receberá uma edição da Mostra no dia 22 de setembro.

Documentário Muriaé das Matas à Cidade

O documentário tem 26 minutos de duração, foi rodado em 1997 e conta a história de Muriaé desde seu desbravamento, de “São Paulo do Manuel Burgo”, passando por “São Paulo do Muriaé” até a nossa “Muriaé”. Dos índios Puris, de Constantino Pinto, da emancipação política administrativa, o documentário traz em narrativa educativa centenas de fotografias inéditas, imagens raras até o fim da década de 1990. A rede municipal de ensino receberá, através do projeto, cópias deste documentário.

Mostra é incentivada pela Lei de Incentivo à Cultura Alcyr Pires Vermelho

A Mostra é um projeto cultural fomentado através da Lei Alcyr Pires Vermelho, lei municipal que através do Fundo Municipal para a Cultura, o Esporte e o Turismo incentiva a produção cultural, o esporte e o turismo.

Compartilhe a arte

Para saber mais informações sobre a Mostra, acompanhe, compartilhe e leia notícias nos perfis do Facebook e no Blog Muriaé das Matas à Cidade.

http://www.facebook.com/MostraMuriaeDasMatasACidade
http://mostramuriaedasmatasacidade.blogspot.com.br

Fonte: Ludmilla Yara

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.