Dia da Consciência Negra é comemorado com evento ‘Rainhas Negras’

negraO projeto ‘Africanize’, criado por meio do setor de Juventude da Fundarte, realizou pelo segundo ano consecutivo a festividade ‘Rainhas Negras’ em comemoração ao Dia da Consciência Negra.

O evento realizado no Cristo Redentor teve o objetivo de unir as lideranças do movimento, assim como envolver as religiões relacionadas as causas negras.

O Africanize homenageou oito mulheres negras que fazem voluntariamente projetos sociais nos locais que residem. Houve desfiles, capoeira, dança, e música, além da eleição da ‘Rainha Negra’.

As condecoradas foram Viviane Araújo (projeto Âncora do bairro Santana), Maria das Graças (Preta) – líder da folia de Reis Anjo Gabriel; Cristiane Souza (Tina) – presidente da Associação Cultural (Ascult), criada nos bairros Padre Tiago e Vale Verde; Maria Aparecida da Silva (Cidinha), realizadora do projeto Enésio; Munik Helena (presidente da Associação de Moradores do Gaspar).

Também representaram os movimentos municipais a professora de Libras, Rosane Silva, que desenvolve um papel de inclusão social; Shirley Melo – criadora do grupo ‘Força da Raça’ e ‘Quadrilha do bairro Santa Terezinha e Thaís de Jesus, do grupo artístico ‘Dionísia Urbana’, que desenvolve peças de teatro em prol das causas negras.

O evento contou com apresentações artísticas de vários seguimentos: poema ‘Slam’ com Fefê Martinez; Grupo Raça Mix, com Walbert Luiz; Capoeira FICAG – Fundação Internacional Artes da Gerais com mestre Babinha; Grupo Força da Raça com Shirley Melo e, ainda, um espetáculo musical com Valéria Black e o produtor ‘Panda’.

As homenageadas receberam peças artesanais da artista Kéia Paulo que produziu estatuetas que representam o cotidiano de trabalhadores escravos do início do século XVII.

As atividades foram coordenadas por Fefê Martinez e Jhonatan Fragoso, com apoio do setor de Juventude, Evandro Silva.

Finalizando o ciclo de apresentações, houve o desfile das representantes da raça negra. Elas desfilaram por uma passarela de bambus e folhas secas representando a fuga dos escravos para os quilombos.

Fonte: PMM

Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo