Home / Notícias / Região / Linhas de crédito estaduais fomentam o desenvolvimento na Zona da Mata

Linhas de crédito estaduais fomentam o desenvolvimento na Zona da Mata

A CEO Software de Juiz de Fora utilizou o financiamento do banco para impulsionar os negócios




De janeiro a agosto deste ano, R$ 41,8 milhões foram disponibilizados por linhas de crédito do Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais (BDMG), para ajudar a fomentar a economia na Zona da Mata. O valor beneficiou pessoas físicas, prefeituras e empresas (micros e pequenas, médias e grandes). Mais da metade, R$ 22 milhões, foram direcionados para as MPEs, que têm faturamento bruto anual abaixo de R$ 10,5 milhões.

Uma delas, a CEO Software, sediada em Juiz de Fora há 18 anos, utilizou o financiamento do banco para impulsionar os negócios. “A CEO Software é uma empresa que preza a evolução constante, seja ela tecnológica, mercadológica ou ate mesmo fiscal. O crédito do BDMG veio em um momento muito oportuno, custeando novos projetos de demanda fiscal e também no investimento de uma nova base em Vitória (ES)”, relata o empresário Paulo Cesar Rodrigues Junior.

Para ele, o investimento também ajudou a melhorar os serviços e fidelizar os clientes. “Conseguimos oferecer um serviço a tempo e a hora, de acordo com a legislação vigente, estando à frente inclusive de alguns concorrentes. O retorno deste investimento se deu pela continuidade, tranquilidade e segurança de clientes efetivos e também de novas oportunidades”, comenta. A CEO possui 35 funcionários e cerca de 200 clientes ativos.

As condições de financiamento foram essenciais para que Paulo Cesar optasse pelo BDMG. “Escolhi o banco devido às taxas que são reduzidas e também pela segurança e praticidade de fazer tudo pela internet”, destaca.

Cláudia Wischanesky é proprietária de uma agência de turismo em Juiz de Fora há 21 anos e também já utilizou as linhas de crédito do BDMG, por duas vezes, sempre com foco na expansão. “A primeira vez foi há quatro anos, para comprar a franquia, e a segunda foi em 2011, para expandir. Aumentamos o tamanho físico da empresa e o número de pessoas trabalhando”, diz. Hoje, a agência tem dez funcionários.

Cláudia conta que escolheu o BDMG devido às opções de financiamento. “Os programas são compatíveis com a realidade de uma empresa pequena, prestadora de serviços. A taxa de juros também estava dentro do que a empresa permitia pagar”, lembra. Segundo ela, ampliar ainda mais o negócio está nos planos. “A expectativa é sempre de crescer, já está em andamento um novo plano para expansão”, revela.

Banco investe na dinamização da economia

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) foi constituído em 1962 e, este ano, comemora 50 anos de atuação. Como banco público de fomento, apoia empreendimentos que contribuem para o desenvolvimento, para a dinamização da economia local, regional ou estadual, e para a geração de oportunidades, emprego e renda. Esse apoio se dá por meio de financiamentos ao setor produtivo, tanto para investimentos quanto para capital de giro, e também ao setor público municipal, principalmente em projetos de infraestrutura urbana e desenvolvimento institucional.

O presidente do BDMG, Matheus Cotta, informa que o banco tem procurado ampliar sua base de atuação. “O BDMG sempre esteve voltado para empreendimentos de maior vulto no Estado. Já nos últimos anos o Banco tem procurado criar estruturas que permitam a ele estar mais presente em todo o interior de Minas, por meio de financiamentos para os empresários em geral, inclusive os do segmento de micro e pequenos empreendimentos. Isso é uma percepção de que o BDMG pode fazer mais com os mesmos recursos disponíveis”, observa.

De acordo com ele, o banco está aberto a todos os segmentos da economia mineira, sem fazer distinção da região, setor ou porte do negócio. “Queremos atuar fortemente no comércio varejista, o agronegócio e a indústria, sendo acessíveis e ágeis ao fomentar a economia do estado”, declara. A elevação da base de clientes de 2011 para 2012, em 50%, demonstra a postura mais acessível e inovadora da instituição. “Hoje temos 12 mil clientes na carteira. Nossa meta é chegar em 2014 com 25 mil”, afirma o presidente.

Este ano, o BDMG espera desembolsar R$ 1,6 bilhão, montante recorde e 23% superior ao total de 2011, focando na promoção do desenvolvimento sustentável e inclusivo, por meio de ações e projetos de modernização e diversificação do setor produtivo estadual, com atenção especial à inovação.

Fonte: Agência Minas

Confira também

Homem mata companheira com facada e morre atropelado por trem

Nessa terça-feira (16), um homem matou a companheira a facada e em seguida cometeu suicídio …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *