Home / Notícias / Região / Mutirão da Polícia Civil conclui dezenas de investigações em Juiz de Fora

Mutirão da Polícia Civil conclui dezenas de investigações em Juiz de Fora

Nesta semana, entre os dias 27 e 31 de julho, a Polícia Civil de Minas Gerais realizou mutirão, no município de Juiz de Fora, para oitiva de mais de 250 pessoas, entre elas, vítimas, suspeitos, testemunhas, detentos, entre outras.

A ação foi iniciativa da 1ª Delegacia Regional de Juiz de Fora (1ª DRPC), por meio da Delegacia Especializada Antidrogas e da 4ª Delegacia de Polícia Civil, que abrange a região Noroeste da cidade. Dezenas de investigações foram concluídas, em virtude das atividades desempenhadas.

Segundo o Delegado Regional de Juiz de Fora, Armando Avólio Neto, em uma semana, foi possível dar andamento a mais de 150 procedimentos de Polícia Judiciária, com a conclusão de dezenas deles. “Foram realizadas intimações em mais de 50 bairros da cidade e conclusas investigações de todos os tipos, envolvendo desde o tráfico de drogas até crimes de menor potencial ofensivo”, ressaltou.




A ação também contou com a mobilização de policiais civis de diferentes delegacias da 1ª DRPC e tem a previsão de se estender no âmbito de atuação das outras unidades policiais. “Passamos por um momento de isolamento social, mas não podemos deixar de dar uma resposta à sociedade frente à criminalidade. Por isso, apoiamos a iniciativa dos escrivães das Delegacias envolvidas e realizamos o mutirão, atendendo a todas as diretrizes de um estado de calamidade pública. Nosso objetivo é estender a ação a outras delegacias”, enfatizou.

Para o Chefe do 4º Departamento de Polícia Civil em Juiz de Fora, Delegado-Geral Gustavo Adélio Lara Ferreira, o compromisso da instituição é com a sociedade, objetivando sempre a paz social e a segurança dos cidadãos. “E isso na prática está sendo feito no âmbito do Departamento, sobretudo, na 1ª Delegacia Regional de Juiz de Fora, com mutirões objetivando acelerar procedimentos a fim de chegar à verdade real desses feitos. E quem ganha com isso é a própria população, pois com a conclusão célere desses procedimentos, muitos marginais responderão penalmente pelos atos praticados”, concluiu, parabenizando as equipes que se empenharem nas atividades.

Fonte: PCMG





Confira também

Viçosa é a única cidade mineira com mais de 50 mil habitantes sem óbito por Covid-19

Entre as cidades mineiras com mais de 50 mil habitantes, Viçosa é a única que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Experimentoe o Novo Livre