Polícia Civil conclui investigação de homem que foi morto a facadas enquanto dormia

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu as investigações acerca do homicídio de um homem, de 46 anos, que foi morto a facadas, enquanto dormia, pelo ex-companheiro da sobrinha da vítima, um indivíduo de 27 anos. O crime ocorreu no último dia 3 deste mês, no bairro Candelária, região de Venda Nova, em Belo Horizonte.

Devido à apuração da PCMG, que resultou na expedição do mandado de prisão temporária contra o suspeito, deferido pela Justiça, o suspeito foi preso na quarta-feira (14/4), ao se apresentar no Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e confessar o crime na presença do advogado dele. “O fato aconteceu no último dia 3 de abril e 11 dias depois nós já tínhamos o autor do fato preso temporariamente”, ressalta a delegada Letícia Gamboge, chefe do DHPP.

O delegado responsável pela investigação, Domênico Rocha, explica que na Sexta-feira da Paixão, dia anterior ao crime, o suspeito teria chegado a residência da família da vítima e apresentado comportamento inconveniente. “Ele fazia brincadeiras de mau gosto, brincadeiras de cunho sexual e, após ser advertido pela família, de que ali se tratava de um ambiente familiar, ele acabou deixando o local”, detalha.

A partir de então, o suspeito teria feito uso de álcool e cocaína durante toda a noite. Depois disso, o investigado teria retornado à casa da vítima e a esfaqueado enquanto ela dormia. “Certamente, em virtude da grande dor que a vítima sentia, ela começou a acordar e, assim que ela despertou, o autor desferiu um outro golpe, que acabou atingindo a sua cabeça, na região craniana, e desfaleceu. Logo em seguida, ele ameaçou matar a ex-companheira e saiu do local com a faca nas mãos. Todo esse relato foi trazido por testemunhas oculares dos fatos, testemunhas que presenciaram toda a ação delituosa”, explica o delegado.

Rocha acrescenta que “inclusive, uma dessas testemunhas, ao perceber a covardia que o autor fazia, esfaqueando a vítima enquanto ela dormia, tentou segurá-lo, tentou impedir que acontecesse, mas ele ainda feriu a mão dessa testemunha com a faca”. Sendo assim, o indivíduo foi indiciado por homicídio qualificado por recurso que impossibilitou a defesa da vítima; lesão corporal, ao ferir a mão de uma das testemunhas; e ameaça com violência doméstica e familiar contra a mulher, por ter ameaçado matar a ex-companheira.

Fonte: PCMG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo