Quatro foragidos são presos em operação de combate a organização criminosa que atuava na região

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio das Promotorias de Justiça de São João Nepomuceno e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Zona da Mata, deflagrou na manhã desta quarta-feira, 21 de abril, uma nova fase da Operação Start Over para prender criminosos que escaparam durante a 1ª fase da operação, realizada no dia 10 deste mês.

Estão sendo cumpridos 48 mandados de prisão que foram expedidos pelo Poder Judiciário da comarca de São João Nepomuceno (MG). Até o momento quarenta e um foram cumpridos.

A operação de hoje, segundo o Gaeco do MPMG, foi planejada e estruturada em conjunto com o Gaeco do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do MPRJ. Os trabalhos estão sendo executados por 25 agentes da CSI e 50 policiais do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro (BOPE).

Como resultado foram presos quatro foragidos que estavam escondidos em um hotel da região central do Rio de Janeiro, próximo à Providência, local onde foi preso, no dia 10 de abril, durante a 1ª fase da operação, o líder de uma das organizações criminosas.

Os agentes do Gaeco Zona da Mata e as Polícias Civil e Militar de Minas Gerais continuam realizando diligências para localizar e prender os últimos sete integrantes que estão foragidos.

Segundo o Gaeco Zona da Mata, a sociedade poderá contribuir com a investigação ligando para os números 190 ou 181 dando informações do paradeiro dos foragidos, bem como indicando locais onde possam estar armazenadas drogas, armas e dinheiro.

A maior parte dos integrantes das organizações atuava nas cidades de São João Nepomuceno, Rochedo de Minas, Mar de Espanha, Descoberto, Juiz de Fora, Rio Novo e outros municípios na região, enquanto os chefes das mesmas se localizavam no Rio de Janeiro.

O coordenador do Gaeco Zona da Mata, promotor de Justiça Thiago Fernandes de Carvalho, fala sobre a operação.

Fonte: MPMG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo