Prefeitura de Muriaé economiza cerca de R$ 2 milhões com Câmara Técnica de Saúde

Funcionando desde junho deste ano, a Câmara Técnica de Saúde gerou uma economia aproximada de R$ 2 milhões aos cofres públicos relativos aos processos judiciais, valor este que será revertido em melhorias na cidade e também em outros setores da Saúde. O projeto inédito na região, criado pela Prefeitura, também agiliza atendimento aos muriaeenses e diminui a “judicialização da saúde”, que é quando a população busca meios jurídicos para obter medicamentos ou tratamentos não ofertados pelo SUS.

Em 2016, foram gastos aproximadamente R$ 5,5 milhões com a judicialização da saúde. Com a implantação da Câmara Técnica, em 2017, foram gastos em torno de R$ 3,8 milhões, uma redução aproximada de R$ 2 milhões, valor que pode ser ainda maior, levando-se em conta a economia com os bloqueios judiciais de recursos do município para atender a judicialização, inviabilizando sua destinação para outras áreas. Inclusive, o número de bloqueios também foi significativamente reduzido, devido ao controle do fornecimento de medicamentos e agilidade na resposta.

Localizada no 1º andar do Centro Administrativo, a Câmara Técnica é formada por uma equipe composta por três médicos, dois farmacêuticos, uma assistente social, uma psicóloga, uma nutricionista, uma assessora jurídica e um coordenador-geral. O grupo dá apoio, através de laudos técnicos, ao Poder Judiciário, ao Ministério Público, à Defensoria Pública e à Procuradoria do município nos procedimentos e tratamentos requisitados pela população. A equipe é responsável por analisar as demandas relacionadas ao SUS e a seleção, prescrição e distribuição de medicamentos.

Economia gerada pela Câmara Técnica deverá ser investida em melhorias na cidade

Entre as ações para diminuir os gastos estão a realização do mutirão de cirurgias de cataratas, a redução de internações compulsórias, o correto encaminhamento de pacientes aos serviços de referência do SUS e a mudança de medicamentos de referência para genéricos de mesma fórmula. Estes dados foram apresentados ao prefeito Grego e aos profissionais diretamente envolvidos no projeto nesta sexta-feira (15), no Centro Administrativo.

Grego comemora os resultados, afirmando que a judicialização da saúde “causa impacto nocivo e expressivo” nas finanças municipais, gerando, desta forma, prejuízo à cidade. O prefeito frisa ainda que os direitos da população aos serviços de saúde estão sendo preservados e que as pessoas podem procurar a Câmara Técnica para fazer suas solicitações. “Através da economia gerada pela Câmara Técnica, podemos investir esses recursos em outros setores, para melhorar os serviços públicos em Muriaé”, frisa. “Já avançamos muito e vamos avançar muito mais para, assim, construirmos um novo caminho, com mais saúde para os muriaeenses”, completa o prefeito.

Mais informações: (32) 3696-3379.

Fonte: CMM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo