Coluna do Cícero Gomes Ribeiro – Palavra do consultor

É com grande satisfação que inicio minha participação neste espaço. Agradeço ao Guia Muriaé pelo convite e assumo o compromisso com o site e com os leitores que farei o meu melhor para retribuir a confiança.

Neste espaço pretendo abordar assuntos que dizem respeito ao universo empresarial. Creio que todos que me conhecem sabem que atuo como consultor de empresas. Por isso gostaria de iniciar fazendo algumas considerações sobre esta profissão, diria, pouco conhecida.

O consultor é funcionário da empresa?

As principais funções de um consultor é elaborar diagnósticos, produzir e apresentar relatórios, planos de ação, estratégias, fazer apresentações, reuniões, palestras, cursos, workshops etc. Mas a função do consultor não é fazer, é ensinar como se faz, tendo sempre como balizador os preceitos da eficiência e eficácia. Isto é, fazer bem feito e barato.

Como alguém se torna um consultor?

O consultor é alguém que detém conhecimentos profundos sobre determinado assunto. Este conhecimento pode ser o resultado de intensa atividade acadêmica, de anos de experiências de vida prática, ou uma fusão das duas coisas. No meu caso, por exemplo, aconteceram as duas coisas. Fui para a faculdade quando já estava com 38 anos, depois de ter adquirido vasta experiência com o trabalho prático. Particularmente, considero o ideal que consultor tenha ambos os conhecimentos: prático e teórico. Contudo, não se pode negar que existem consultores apenas com conhecimento teórico que são grandes profissionais. O mesmo pode ser encontrado com consultores que detém apenas o conhecimento prático.

Qual o melhor método para se contratar um consultor?

Como toda aquisição, a contratação de um consultor deve ser precedida da busca de informações, de referências. Pergunte sobre resultados que ele já alcançou. Empresas para as quais trabalhou. Faça uma pesquisa sobre o profissional que pretende contratar, isto irá minorar os riscos de futuros problemas. Cuidado, entretanto com a primeira referência. Consultores costumam fazer inimizades, principalmente entre os colaboradores que detém mais responsabilidade, nível Gerencial e Supervisão. Imagine o cenário: a empresa contrata uma pessoa, neste caso o consultor. Ele entra na empresa e realiza um diagnóstico. Ora, um diagnóstico nada mais é que identificar erros, que foram cometidos por alguém, é claro. Este alguém, jamais ficará satisfeito com o consultor, por mais tato que se tenha.

Quanto tempo dura uma consultoria?

O trabalho de todo consultor de empresas é desenvolvido por meio de Projetos. O que significa que tem um início e um fim e, principalmente, um escopo, isto é, um foco. Portanto, cuidado com consultores que não apresentam cronograma de trabalho, que querem atuar em todas as áreas da empresa, mas acima de tudo, cuidado com consultores que não deixam claro o prazo para realização do seu trabalho.

Consultores são bons de planejamento, tem muita experiência acadêmica, mas ruins de execução, na prática?

Esta é uma crítica que paira sobre os consultores. Nos meus quase 30 anos de atividade como vendedor tive grandes êxitos e grandes fracassos. Para algumas consultorias, saber fazer é fundamental. Conheço um consultor na área de açougues. Ele ensina como fazer os melhores cortes, como fazer embutidos diferenciados e de alto valor agregado, como fazer uma boa exposição de cortes na vitrine do açougue. Como tanta capacidade prática não lhe faz falta a pouca experiência acadêmica. Em outros casos a experiência acadêmica é absolutamente necessária. Quando sou convidado para desenvolver o Planejamento Estratégico de uma empresa é fundamental o conhecimento acadêmico. A metodologia que é aplicada não é fruto da minha experiência prática, mas do estudo dos grandes teóricos. O trabalho que desenvolvo nas empresas aqui no Brasil é o mesmo que é realizado na Europa, na Ásia ou nos Estados Unidos.

Mas, se alguém me perguntasse o que mais credenciaria um consultor de empresas eu responderia: a capacidade de repartir os conhecimentos que possui. Todos nós já tivemos um professor que sabe muito, o cara é muito inteligente, um gênio! Mas, não consegue ensinar, não consegue compartilhar o seu vasto conhecimento, logo é inútil para o que se propõe. Um consultor de empresas competente sabe e tem prazer em compartilhar seus conhecimentos. Neste caso, para sua própria sobrevivência precisa adotar uma postura de busca, constante, de conhecimentos. Fica claro então que um consultor de empresas, na verdade nada mais é que professor e aluno para o resto da vida.

Autor: Cícero Gomes Ribeiro – Diretor Pedagógico da Focus Educação Corporativa, Pedagogo Empresarial, Pessoal e Profissional Coach, Membro da ACML, Membro do Banco de Palestrantes do SEBRAE e FCDL-MG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo