Personalidades de Muriaé – Edgard Miranda

Edgard Miranda nasceu na cidade de Eugenópolis no dia 2 de fevereiro de 1917. Era filho de Artur Miranda e de Jorcelina Miranda.

Topógrafo de profissão, também exerceu o cargo de vereador na Câmara Municipal de Muriaé no período de 1959 a 1962 pela UDN, partido de sustentação do então prefeito Dante Bruno e de seu vice José Vieira do Carmo. Colaborou intensamente nas gestões deste prefeito e também na do prefeito Paulo Fraga, no período de 1973 a 1976.

Era figura exponencial na política de nossa região. Sempre foi uma figura humilde, procurando mais ouvir do que falar. Com a implantação da ditadura no país, Edgard Miranda, com a coragem que sempre caracterizou suas atitudes, em 1965, fundou o MDB e depois o PMDB em Muriaé, exercendo a presidência destes dois partidos e se destacando por sua luta em prol da democracia, contra a ditadura e contra a opressão.

Fundador do jornal “O Trabalhador” e da Associação Beneficente Operária de Muriaé, exerceu a presidência da Empresa Municipal de Urbanização, atual Demsur.

Casou-se com Dona Maria de Lourdes Miranda no dia 25 de setembro de 1940, tendo o casal os seguintes filhos: Edma, Edna, Emerson e Elida.

Finalmente, em 1982, Edgard teve seus esforços compensados, com a eleição do então prefeito Doutor Paulo de Oliveira Carvalho e com o domínio peemedebista em Muriaé.

Em nível nacional, sentiu-se particularmente vitorioso, com a eleição do então presidente Tancredo Neves e o consequente fim da ditadura, contra a qual ele sempre lutou.

Edgard Miranda faleceu no dia 30 de janeiro de 1986, pouco antes de completar 69 anos de idade, na cidade de Juiz de Fora, onde se encontrava internado por vários meses. Morreu feliz por ver sua pátria livre, a caminho da completa democracia, e o PMDB transformado num partido forte. Seu corpo foi velado na Câmara Municipal de Muriaé e sepultado no Cemitério Municipal seguido por uma multidão de amigos, familiares e admiradores.

Como justa homenagem, temos em Muriaé um bairro que leva seu nome, por meio da lei nº 1.143 de 1986.

Fonte: João Carlos Vargas e Flávia Alves Junqueira / Memorial Municipal


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo