Personalidades de Muriaé – Sebastião Laviola

Sebastião Laviola nasceu no dia 02 de janeiro de 1884 na cidade de Muriaé. Foi um dos quinze filhos de Antônio Laviola, italiano, grande comprador de café, e de Guilhermina Lomeu Laviola.

Todos os filhos nasceram no bairro da Barra, aliás, foram eles os fundadores deste bairro. Residiam no luxuoso e tradicional Palacete Laviola, construção do tipo chalé, com sacadas artísticas, vidros coloridos, escada caracol, assoalho em pinho de Riga e um calçadão à frente vigiado por dois leões de mármore. Este palacete foi construído no ano de 1892, próximo à Igreja Nossa Senhora da Conceição, na Barra.

Menino esperto e vivo, foi mandado, ainda criança, para fora, tendo passado por várias escolas entre as quais a Escola de Minas, de Ouro Preto, e outra de Barbacena, onde teve por colegas figuras ilustres como Doutor Afonso Canêdo, o ex-governador de Minas Gerais, Doutor José Francisco Bias Fortes e Marechal Teixeira Lott. Sempre inquieto, foi levado posteriormente para a Escola Naval do Rio de Janeiro. Mas, logo retornou a Muriaé, onde se casou com Dona Malvina Leite, filha de Guilherme Furtado Leite e de Affonsina Furtado Leite. Falecendo esta, no dia 24 de julho de 1926, aos 40 anos de idade, casou-se novamente, no dia 18 de setembro de 1929, com Dona Maria da Conceição Dornelas, filha de José Miguel Dornelas e de Anna Rodrigues Dornelas. Com ela, dividiu sua vida de atividades e benefícios em prol de nossa comunidade.

Foi uma das mais extraordinárias figuras que, em vida, foi um exemplo dignificante, uma estrada segura que, até hoje, sempre é lembrado para nos mostrar o rumo certo para a realização plena de ideais. Pois, foi tão grande quanto sua humildade, foi tão humilde quanto sua grandeza.

Foi o primeiro motorista e “professor” dos primeiros motoristas de nossa cidade. Iniciou na profissão de eletricista e de mecânico. Homem forte, grande parte de sua vida foi inteiramente voltada às obras de assistência social da Sociedade de São Vicente de Paulo, da qual se tornou o dirigente e um dos maiores incentivadores e membro atuante. A antiga Granja Escola Dom Delfim, que também já foi Escola da Febem, mereceu toda sua dedicação. Exímio músico e maestro, fundou entre os órfãos e os desamparados daquela entidade, a Banda da Febem, regendo-a durante 20 anos. Esta banda foi, mais tarde, também dirigida pelo maestro Hélio Teófilo dos Santos – o Sansão – um de seus mais entusiastas admiradores.

A memória de Sebastião Laviola permanece ainda viva em várias gerações que tiveram a felicidade de conhecê-lo, alegre e humilde, em sua oficina da Rua Getúlio Vargas. Seu exemplo de dedicação e de cumprimento do dever está bem vivo e continuará na lembrança de seus ex-alunos e de todos que tomam conhecimento de sua obra de abnegação, carinho e, sobretudo, de amor ao próximo.

Faleceu no dia 26 de julho de 1962, aos 78 anos de idade, vítima de insuficiência cardíaca, e deixando um filho menor, Sebastião foi daquelas pessoas que souberam sempre servir o outro. Sempre disponível e pronto a dividir sua felicidade de cristão e de homem íntegro com aqueles que o rodeavam. Pelo que representou de fé, de esperança e de altruísmo é que seu nome figura com destaque na galeria daqueles que consumiram sua vida edificando o presente e o futuro de nossa cidade.

Como homenagem e reconhecimento, em 3 de março de 1966, foi inaugurada a Escola Estadual Sebastião Laviola, no bairro da Barra, pelo decreto nº. 8667 de 04 de setembro de 1965. No mês de fevereiro de 1994, a Prefeitura Municipal de Muriaé, em cooperação com a Secretaria de Estado de Educação, municipalizou-a passando a ser denominada Escola Municipal “Sebastião Laviola”.

Fonte: João Carlos Vargas e Flávia Alves Junqueira / Memorial Municipal


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo