Home / Notícias / Brasil / Auxílio emergencial: quem recebe os R$ 600 pode ter que devolver o dinheiro em 2021

Auxílio emergencial: quem recebe os R$ 600 pode ter que devolver o dinheiro em 2021

Para uma pequena parte das pessoas que recebem o auxílio emergencial do governo federal, o benefício será considerado um empréstimo do poder Executivo e terá de ser devolvido em 2021.

A medida vale para quem receber, até o fim deste ano, valores tributáveis acima do limite de isenção do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) – brasileiros que recebem salário mensal inferior a R$ 1.903 e não têm outras fontes de renda. O benefício de R$ 600 deverá ser somado ao imposto na declaração de 2021.

O auxílio emergencial é a principal ação do governo federal para dar suporte a milhares de brasileiros durante a crise causada pela pandemia do coronavírus.




A Caixa Econômica Federal creditou nesta segunda-feira (25) novos lotes do benefício, tanto da primeira parcela, para novos aproados, quanto da segunda, para quem recebeu a anterior até o último dia do mês passado. De acordo com o banco, quase 8 milhões de trabalhadores vão receber o auxílio.

Caixa paga auxílio a informais, MEI, autônomos e desempregados

A Caixa Econômica Federal continua hoje (27) pagando o auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras) destinado a trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados.




No caso do Bolsa Família, o calendário está dividido conforme as datas habituais de pagamento para quem integra o programa. Para as demais pessoas, o pagamento é feito de acordo com o mês de nascimento.

Hoje (27), será feito o pagamento para os beneficiários do Programa Bolsa Família com Número de Inscrição Social (NIS) final 8. O crédito segue sendo feito para um NIS por dia até o número zero, a ser pago na próxima sexta-feira (29). Os beneficiários podem sacar o benefício pelo cartão do Bolsa Família.




Segunda parcela nas contas digitais

O calendário de crédito na poupança social digital da Caixa terminou ontem (26), com os nascidos em novembro e dezembro. Os depósitos começaram a ser feitos no último dia 20, para os beneficiários que receberam a primeira parcela até o dia 30 de abril e não são do Bolsa Família.

Saques da segunda parcela

O calendário para saques da segunda parcela é diferente do calendário do crédito nas contas digitais e tem início no próximo sábado (30), para os nascidos em janeiro.

No dia 1º de junho, os saques serão permitidos para quem nasceu em fevereiro, seguindo nessa ordem até 13 de junho para os nascidos em dezembro. No dia 7 de junho (domingo) não haverá saques.

No dia 21, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que a segunda parcela do auxílio emergencial só será depositada em contas fora da Caixa Econômica Federal a partir do dia 30. Segundo ele, os beneficiários receberão o dinheiro automaticamente na conta corrente de outros bancos, no período de 30 de maio a 13 de junho, conforme o cronograma de saque em espécie do segundo lote.

Saque da primeira parcela

Hoje (27), poderão sacar em dinheiro os beneficiários nascidos em outubro; na quinta (28), os de novembro, e na sexta-feira (29), os de dezembro.

Quem não conseguir ir ao banco no dia correspondente ao mês de aniversário pode ir em data posterior.

Fonte: Agência do Rádio / Agência Brasil


Confira também

Brasil passa da marca de 1,5 milhão de casos confirmados de covid-19

O Brasil bateu a marca de 1,5 milhão de casos confirmados acumulados desde o início …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Experimentoe o Novo Livre