Golpistas se passam por pesquisadores do Ministério da Saúde para clonar números das vítimas; saiba como se prevenir

Mais uma forma de aplicar golpe no WhatsApp vem sendo utilizada por criminosos. Dessa vez, os golpistas usam como isca uma falsa pesquisa sobre a Covid-19 para ludibriar a vítima. Veja abaixo como funciona o esquema.

O golpe no WhatsApp começa com uma ligação telefônica em que uma pessoa se passa por pesquisador(a) do Ministério da Saúde. Esse contato também pode ocorrer via mensagem dentro do próprio aplicativo. O falto pesquisador afirma que fará perguntas sobre a Covid-19 para uma pesquisa do Ministério da Saúde.

Depois de fazer algumas perguntas, o falso pesquisador afirma que enviará um código via SMS para fazer uma confirmação e solicita que a vítima informe esse código.

Porém, o código enviado é uma autenticação do próprio WhatsApp. Esse número de seis dígitos é enviado para o usuário confirmar que é o detentor daquela conta. De posse do código, o golpista consegue acessar a sua conta no aplicativo.

Depois, passa a enviar mensagens como se fosse o dono daquela conta e pedindo dinheiro aos contatos. Os golpistas usam histórias para convencer o contato como de que o limite de transferência diária foi estourado e por isso precisa de ajuda para transferir. Outra história pode ser a de que surgiu uma emergência e está sem dinheiro na conta. O golpe no WhatsApp termina quando o contato efetua a transferência bancária.

Esse tipo de golpe é um padrão muito utilizado pelos criminosos. Eles se aproveitam de temas em voga para chamar atenção das vítimas. No momento, com a pandemia da Covid-19, este se tornou um tema fácil de convencimento para que mais pessoas caiam na armadilha.

Porém, os golpistas podem utilizar outros motes, como dizer que você ganhou um prêmio, ou que tem uma oferta de emprego.

Como se proteger de golpe no WhatsApp

O primeiro passo para não cair nesse tipo de golpe é manter-se alerta. Sabendo do mecanismo de ação dos criminosos, você poderá buscar sinais de que aquele contato é uma armadilha. Portanto, se houver promessas fáceis de algum ganho, pode desconfiar. Se te solicitarem que informe seus dados ou algum código, também é motivo para desconfiança.

Outra ferramenta importante é ativar a autenticação de dois fatores. Esse mecanismo é disponibilizado dentro das configurações do próprio aplicativo. Com a verificação em duas etapas, você irá registrar um código próprio. Esse número será solicitando quando a sua conta for acessada em outro telefone ou de forma esporádica, para garantir que o dono da conta é quem utiliza aquele número no momento.

Importante: para não correr o risco de perder a sua conta, é essencial anotar o número PIN escolhido durante a ativação da autenticação de dois fatores.

Fonte: Instituto de Longevidade MAG


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo