Jovens têm até 4 de maio para tirar o título de eleitor para poder votar este ano

Termina no dia 4 de maio o prazo para os jovens de 15 a 17 anos tirarem o título de eleitor para poder escolher e votar em seus candidatos nas eleições do da 2 de outubro quando serão escolhidos deputados estaduais e federais, governadores, e o presidente da República.

Para os jovens brasileiros, de 15 a 17 anos o voto é facultativo, mas eles representam parte significativa da população brasileira. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os jovens entre 15 e 29 anos correspondem a 23% da população brasileira, somando mais de 47 milhões de pessoas.

Essa população é impactada diretamente por políticas públicas controversas ou prejudicais para o futuro dos jovens adotadas por governos como o de Jair Bolsonaro (PL), em áreas como a educação, e também pela falta de políticas para geração de emprego e renda do que precisam entrar no mercado de trabalho porque se formaram ou porque precisam ajudar no orçamento familiar.

Escolher candidatos com propostas que contemplem suas demandas é sobretudo um ato de luta e resistência, apontam campanhas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que alertam os jovens sobre a importância de participar do processo democrático das eleições.

Personalidades do meio artístico, político e acadêmico e, em especial, os influenciadores da internet se engajaram na campanha para estimular os jovens que são, inclusive, o grupo que mais se manifesta contra os desmandos do governo Bolsonaro em shows e eventos públicos, a tirar o título de eleitor. Não adianta só xingar, dizem uns, têm de escolher, votar para transformar.

No dia 16 de março, o movimento começou no Twitter e contou com a adesão de milhares de usuários. O resultado foi que a mensagem atingiu mais de 88 milhões de pessoas num único dia.

Até Mark Ruffalo, ator dos Estados Unidos, conhecido por papéis como o Huck de “Os Vingadores”, entrou na campanha.

Na semana do dia 16, chamada de “Semana do Jovem Eleitor”, organizada pelo TSE, foram emitidos 96.425 novos títulos em todo o Brasil e no exterior para jovens com 15 a 18 anos. E a adesão não parou de crescer. Segundo os dados da Justiça Eleitoral, até o dia 21 de março, 854.685 jovens de 15 a 18 anos já haviam solicitado a emissão do primeiro título de eleitor. Esses novos eleitores representam quase dois terços do total de inscritos durante todo o ano de 2020. Prova de que a mobilização popular funciona.

A cantora Anitta, que recentemente se tornou a primeira brasileira mais ouvida em todo o mundo com sua música “Envolver” na plataforma Spotify, ferrenha crítica ao presidente, utilizou sua influência para também chamar os jovens à responsabilidade de mudar o país.

Zeca Pagodinho, Whindersson Nunes, Juliette (ex-BBB) e vários dos artistas que se apresentaram no festival Lollapaloosa, que além de ter uma grande concentração de jovens, teve ampla divulgação pela mídia, participaram da campanha fazendo com que o estímulo aos jovens para tirar o título ganhasse ainda mais força.

Quero votar

O prazo para tirar, regularizar ou transferir o título de eleitor termina no dia 4 de maio. Para os jovens de 16 e 17 anos, o voto não é obrigatório, portanto, tirar o título também é facultativo. Quem tem 15 anos, mas terá 16 até o dia 2 de outubro, já pode providenciar o documento.

O que precisa para tirar o título?

Com o avanço da tecnologia, o passo a passo ficou mais confortável, já que o processo pode ser feito pela internet no site Título.Net, onde o passo a passo está explicado. Portanto, leia atentamente as instruções.

O primeiro dos procedimentos, vale ressaltar, é digitalizar documentos, o que pode ser feito tirando fotos pelo celular, por exemplo. Faça também uma selfie segurando, ao lado de sua face, o documento oficial de identificação, mostrando o lado da foto.

De cara limpa: o TSE proíbe adereços, vestimentas ou aparatos, como óculos e bonés, que impossibilitem a completa visão da face. As imagens dos documentos também devem estar totalmente legíveis, sob pena de indeferimento do requerimento. O tamanho máximo por arquivo é de 10 MB e os formatos aceitos são PNG, PDF e JPG.

Os documentos são:

Documento oficial de identidade com foto (frente e verso).
Comprovante de residência recente (no caso de transferência, prazo mínimo de três meses de residência no novo endereço).
Comprovante de pagamento de débito com a Justiça Eleitoral (quando houver débito).
Comprovante de quitação do serviço militar, para o alistamento, sendo o requerente do sexo masculino (exigência a partir de 18 anos até 31 de dezembro do ano que completar 45 anos).

Após a digitalização é preciso acessar o link “iniciar seu atendimento â distância” (está no fim da página), selecionar a opção “não tenho” na guia “Título de eleitor” e preencher todos os campos indicados com os dados pessoais, como nome completo, e-mail, número do RG e local de nascimento.

O processo será analisado pelo TSE após o envio da documentação e preenchimento de dados e, então, o título estará pronto. Para acessá-lo é necessário instalar em seu dispositivo (celular) o aplicativo E-Título, disponível para Android e IOS.

Presencial

Outra opção é ir munido de todos os documentos mencionados ao cartório eleitoral mais próximo de sua casa. Endereços podem ser consultados nos Tribunais Regionais Eleitorais. Na barra de endereços de seu navegador, digite www.tre.(sigla do seu estado).jus.br.

Exemplo:

Acre: www.tre-ac.jus.br
Bahia: www.tre-ba.jus.br
Ceará: www.tre-ce.jus.br
São Paulo: www.tre-sp.jus.br
Brasília: www.tre-df.jus.br

E assim por diante.

Outras dúvidas:

Já fiz 18 anos: em 4 de maio também vence o prazo para solicitar o título

Tenho mais de 18, mas estou em débito com a Justiça eleitoral: para poder votar ou tirar o título é preciso regularizar as pendências no site do TSE. (www.tse.jus.br)

Perdi o prazo: quem não tirar ou regularizar o título até 4 de maio, não poderá votar em outubro deste ano. Somente após as eleições, os Tribunais Regionais retomam os trabalhos de emissão e regularização.

Tirei o título. Onde eu voto? Consulte os locais de votação, de acordo com a zona eleitoral de sua região consultando neste link site do TSE.

E tal Biometria? Quem ainda não fez não deve se preocupar neste momento já que o cadastro deste formato continua suspenso em razão da pandemia. De acordo com o TSE, as regras para biometria ainda não estão definidas e, quando houver essa definição, serão amplamente divulgadas .

Perdi o título: pode votar mesmo assim. É só levar um documento com foto, mas é necessário saber em qual seção e zona você vota.

Fonte: CUT

Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo