Mesmo com a conta de luz mais cara há risco de racionamento, dizem especialistas

É cada vez maior o número de especialistas que acreditam em racionamento de energia elétrica no Brasil.

E isto deverá acontecer em breve. O principal motivo é o período de seca histórico que tem afetado os reservatórios das hidrelétricas brasileiras. O País enfrenta a pior crise hidrológica desde 1930, mas o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, descarta o risco de apagão ou de racionamento de energia.

Segundo Pedro Jacobi, professor do Instituto de Energia e Ambiente da USP (Universidade de São Paulo), é “muito provável” que o Brasil precise fazer um racionamento preventivo de energia nos próximos meses para evitar uma crise energética como a de 2001.

A primeira iniciativa do governo no sentido de sinalizar a dificuldade na geração de energia já está em vigor: a bandeira tarifária vermelha patamar dois que, provavelmente, deverá assim permanecer até o final do ano.

Em Cataguases, a Energisa Minas Gerais, concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica, que somente em Minas Gerais atende a 65 municípios, mas está presente em vários estados da federação, disse por meio de nota, que recebe energia através do Sistema Interligado Nacional, que é gerido pelo Operador Nacional do Sistema (ONS).

Isto quer dizer que aquela distribuidora será impactada em um eventual racionamento de energia, afetando, diretamente os consumidores por ela atendidos. A nota termina com a Energisa orientando sobre o uso racional e a economia de energia elétrica.

Veja a nota na íntegra:

“A Energisa esclarece que é responsável pela distribuição da energia para sua área de concessão, em 65 municípios do estado, recebendo essa energia através do Sistema Interligado Nacional – SIN, cuja gestão fica a cargo do Operador Nacional do Sistema – ONS. Portanto, a concessionária segue as diretrizes energéticas definidas tanto pelo ONS quanto Ministério de Minas e Energia (MME) e Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).”

“A Energisa informa ainda que trabalha incentivando o uso racional da energia elétrica por meio de seus programas de eficiência energética e educação, que contribuem para economia de energia e sustentabilidade.”

Fonte: Marcelo Lopes


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo