Pastor ameaça contratar terceirizados e demitir trabalhadores em greve por salário

Ao invés de pagar os salários e vale-alimentação dos trabalhadores e trabalhadoras que deveriam ter sido depositados no dia 5 de outubro, e, com isso, acabar com a greve iniciada há sete dias, a Igreja Mundial do Poder de Deus, do pastor Valdemiro Santiago, está contratando terceirizados para substituir a mão de obra.

A greve foi considerada legal e justa pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2), que deu um prazo até o dia 19 para a Igreja Mundial pagar os salários dos jornalistas, cinegrafistas e trabalhadores em igrejas. Até esta data os trabalhadores continuam de braços cruzados.

O colunista Ricardo Feltrin, do UOL, teve acesso à escala de trabalho interna, que comprova a contratação de mão de obra sem registro.

Ainda segundo o colunista, em uma de suas pregações, Valdemiro reclamou porque, de acordo com ele, jogador de futebol não faz greve quando os salários estãos atrasados por seis meses. “Na Igreja, se atrasar três, quatro, cinco dias, acontece isso (a greve). E xingam, e ofendem a nossa honra, e a da nossa família”, afirmou o religioso.

Além da diferença gigantesca entre os salários dos jogadores e os dos trabalhadores da Igreja, é importante lembrar que há mais de dois anos a Mundial vem pagando um abono de 50% do valor do salário no dia 20, e a outra metade, que deveria ser paga no quinto dia útil de cada mês, sempre atrasa.

Mas Valdorimo, que no ano passado comprou o seu sétimo jato, um Falcon 8x, de mais de 59,3 milhões de dólares, está “muito chateado” e ameaça não contratar mais ninguém.

“Infelizmente a gente que emprega milhares de trabalhadores, a gente vai ter que comunicar ao Ministério do Trabalho: acabou. Não vamos contratar mais ninguém”.

“Então, o que a gente vai fazer? A gente vai terceirizar; vamos contratar uma empresa pra cuidar do trabalho da Igreja”, disse Valdemiro.

“Eu tenho dó porque muita gente gosta da obra, trabalha aqui porque gosta, faz de coração. Mas não vai ter jeito. Vou ter que acabar demitindo esses também e contratando uma empresa para fazer o serviço da igreja”, concluiu Valdemiro.

Fonte: CUT


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo