Almoxarifado da Prefeitura de Muriaé passa por revitalização

O almoxarifado da Prefeitura de Muriaé está passando por reforma e revitalização neste momento. O espaço receberá um galpão para guardar os maquinários pesados como retroescavadeiras e motoniveladoras, como forma de conservar equipamentos de trabalho, utilizadas nas grandes obras da cidade e nas manutenções das estradas rurais.

O galpão terá 1.424 metros quadrados com 5m de altura. No local, também serão estacionados caminhões do município e montada uma pequena oficina. “Esta grande garagem era uma necessidade antiga, pois os equipamentos de grande porte, assim como os implementos mecânicos precisavam ficar em local coberto, longe das intempéries e inundações causadas pelas enchentes. A mudança é necessária para ampliar o tempo de vida e conservação de maquinários”, explicou o secretário de Obras Públicas, Carlos Kneip

Para a estruturação do galpão está sendo realizado o aterro da área para nivelar o terreno do almoxarifado. Devido à mudança, foi necessário limpar e retirar algumas árvores que estavam na direção do novo abrigo. Toda a reestruturação foi levada e aprovada pelo Conselho Municipal de Defesa e Conservação do Meio Ambiente (Codema).

“O almoxarifado está sendo revitalizado e precisamos fazer a supressão de algumas árvores exóticas. Nenhuma delas era de mata nativa, as quais existe um certo impedimento de retirar, inclusive pela proximidade com as margens do Rio Preto. Desta forma, pedimos autorização ao Codema que nos permitiu a retirada e solicitou que fizéssemos uma compensação, ou seja, devemos plantar novas mudas numa faixa de 15 metros ao redor da região”, explicou o coordenador de Meio Ambiente, Gilberto Bonato Filho.

Codema – órgão fiscalizador

O Conselho Municipal de Defesa e Conservação do Meio Ambiente (Codema) é um órgão colegiado, consultivo, deliberativo e normativo, composto por 42 conselheiros – 21 titulares e 21 suplentes. Os membros são representantes do poder público (secretarias municipais e autarquias), Câmara de Vereadores, Ministério Público Estadual, Emater, Instituto Estadual de Floresta (IEF), policiais militares, civil e ambiental, Corpo de Bombeiros, entre outros.

Também fazem parte, representando a sociedade civil, integrantes do Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, Sindicato das Industrias de Vestuários (Sindivest), ONG APA Itajurú, OAB, ONG Iracambi, Fafism (Santa Marcelina), Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Pomba (Amerp) e Unifaminas.

O órgão analisa as propostas apresentadas, coloca em votação, e delibera sobre sim ou não para a supressão. É tarefa dos conselheiros também solicitar ou não a compensação, ou seja, o dever de efetuar o plantio de novas mudas em local supracitado. O Codema tem à obrigatoriedade de zelar pela política de meio ambiente no âmbito municipal.

Fonte: PMM


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo