Home / Notícias / Cidade / Casal de Muriaé vende pururuca a R$ 1 para realizar o sonho de casar

Casal de Muriaé vende pururuca a R$ 1 para realizar o sonho de casar

Um jovem casal de Muriaé que vende pururca, também conhecida como pelinha, para arcar com as despesas do casamento vem causando comoção na cidade.

Os noivos Ana Paula Baptista e Bruno Baldanza vão se casar apenas no ano que vem, em 12 de junho de 2021, e estão percorrendo a cidade vendendo e fazendo entregas de puruca por apenas R$ 1 o saquinho.

O casal entrega de porta em porta e por encomenda nos números (32) 98896-1719 ou (32) 98810-4945.




– Tudo começou quando fui dispensada do meu serviço, por nao ter seguro desemprego fiquei sem renda alguma para suprir dividas que ja havíamos feito com nosso casamento. Só a renda do meu noivo não daria para pagar as contas já adquiridas e tornaria nosso sonho ainda mais distante. Então, certo dia minha mae deu a idéia de fritarmos pururuca – conta Ana Paula.

Inicialmente, os noivos não conseguiram vender muito e ficaram até desanimados e frustrados, mas com ajuda de outras pessoas a situação começou a mudar.




– Aos poucos Deus foi colocando em nossos caminhos pessoas que abraçaram com amor a nossa causa, começaram a nos mandar mensagens pedindo e influenciando amigos a comprarem também. Foi ai que tivemos a esperança de que daria certo. Essa esperança se concretizou, hoje vamos a luta todos os dias. Todos os dias colocamos nosso sonho e amor na produção das pururucas. Vamos eu, meu noivo, meus irmãos e minhas mae produzir nosso trabalho com zelo e carinho visando servir nossos amigos e parceiros com nosso melhor – disse.

Mesmo diante da situação da pandemia de coronavírus, o casal não parou e sai de máscaras e vai de porta em porta vendendo a pururuca.




– Nossa rota muda todos os dias, já fomos ao Dornelas, Aeroporto, Gaspar, São Pedro, Cardoso de Melo… E por ai vamos.

O lucro é de cerca de R$ 0,30 por saquinho vendido, uma vez que eles investiram em álcool para higienização das sacolinhas, luvas e touca para produção e fora a matéria prima.

– Mas acreditamos que o pouco com a bênção de Deus é muito. E chegaremos ao nosso sonho. Mesmo que tenhamos que vender por longo prazo, nossa meta sempre é vender tudo o que levamos no dia. Só vamos embora quando vendemos tudo. Nossa meta a princípio é pagar dívidas que já fizemos. Depois concretizar alguns sonhos. O amor tudo supera e estamos convictos que não será uma crise que impedirá nosso sonho de se concretizar o que sempre almejamos. Vamos a luta, juntos e confiantes que nosso dia será maravilhoso – concluiu.

Fonte: Guia Muriaé


Confira também

Obras de drenagem pluvial avançam em ritmo acelerado na Barra

Aguardadas há mais de 40 anos, as obras de construção de redes drenagem pluvial no …

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Experimentoe o Novo Livre