Cultura e turismo são debatidos em Muriaé

A V Conferência Municipal de Cultura e Turismo de Muriaé e Região promoveu diversas atividades e estudou novas propostas para o incremento cultural e turístico no município.

A Fundação de Cultura e Artes (Fundarte) contou com as presenças do subsecretário Maurício Canguçu, da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais – Secult e seus asssesores de economia criativa, regionalização e descentralização das políticas públicas para cidades mineiras.

A diretora da Fundarte Gilca Napier falou das ações realizadas no ano de 2021 e apresentou projetos a serem emplacados em 2022.

“Estamos destroçados por tantas perdas e ansiamos por afeto e união. Mesmo com tantas regras de distanciamento, nós conseguimos realizar inúmeras atividades para os muriaeenses. Retornamos com as escolas de artes, audiovisual, ballet, escolas de modalidades esportivas, fizemos exposições de esculturas e obras de arte, criamos o Centro de Artesanato Municipal, inauguramos e Centro Cultural de Boa Família e muito mais. Estamos com muitos planejamentos para o próximo ano, como festivais de música, gastronômicos e políticas de prevenção á saúde envolvendo nestas mais arte e mais cultura”, lembrou.

A Conferência reuniu autoridades como o prefeito José Braz, o vice-prefeito Marcos Guarino, o deputado estadual Bráulio Braz, o professor e escritor Joel Peixoto, o diretor de Economia Criativa do Secult José Júnior, a diretora de Regionalização de Descentralização de Políticas de Turismo Priscila Rios, o vice-prefeito de Cataguases, Marcos Andrade, o secretário de Governo Paulo Sérgio Amaral entre outros presentes. Todos envolvidos com a contextualização das propostas que poderão levar Muriaé a um franco crescimento cultural e a ser pólo turístico na região.

O subsecretário de Cultura e Turismo ministrou palestra com satisfação pelo ar cultural obtido na visita.

“O Estado precisa levar oportunidades para os 853 municípios de Minas. Nosso trabalho é desenvolver a solidificação de políticas públicas para destinar fundos para a cultura. Estamos abrindo muitos editais para estar repassando recursos para a cultura. Muriaé está evoluída, assim como Cataguases, na área do audiovisual. O mundo está voltado para o audiovisual. Este setor é o protagonista deste momento. A região está embalada nesta atividade que é a mais difundida e possui futuro profícuo”, declarou Maurício Canguçu.

Entre as propostas estabelecidas nas plenárias realizadas ao final da Conferência sobressairam a necessidade de um maior intercâmbio entre as instâncias do estado e a necessidade de desenvolver o projeto Pico do Itajurú, que estabelece a criação de portal de entrada, construção de quiosques e área de convivência para incremento do turismo na região.

As propostas do setor de cultura ainda estão sendo organizadas em Ata Oficial para serem direcionadas a diretora da Fundarte que emitirá o documento para a Secult.

Conferência apresentou documentário Belisário

O evento que se estendeu pela manhã e tarde, exibiu o vídeo “Belisário Mãe d’Agua” – um dos projetos aprovados pela Lei de Incentivo a Cultura Alcyr Pires Vermelho.

O documentário que apresenta o valor dos recursos hídricos existentes no município levou aos convidados a mensagem sobre as riquezas naturais de Muriaé e o grande número de nascentes no território de montanhas e reservas de Mata Atlântica, localizados no Pico do Itajurú (Serra do Brigadeiro).

Segundo as ponderações do subsecretário da Secult, Maurício Canguçu, a obra vem de encontro uma grande tendência do mundo no pós pandemia, já que vislumbra a supervalorização do turismo rural e as experiências ao ar livre que estão em alta.

Fonte: PMM

Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo