Fiéis buscam beatificação de freira que trabalhou no Colégio Santa Marcelina em Muriaé

Moradores da cidade de Cambuquira, na região Sul de Minas Gerais, estão buscando a beatificação da Irmã Laura Motta, uma freira que ficou conhecida por ter dedicado sua vida a cuidar de pessoas carentes, mas principalmente, dos alcoólatras. Um ano após sua morte, várias graças já são atribuídas a “Santa dos Alcoólatras”.

Nascida em 21 de junho de 1919, em Jardinópolis (SP), a Irmã Laura entrou para a Congregação das Irmãs Marcelinas em 1º de janeiro de 1942 e realizou os primeiros votos em 6 de janeiro de 1946. Trabalhou no Colégio Santa Marcelina em São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e Muriaé (MG), e no Hospital Santa Marcelina e Pensionato Santa Marcelina, ambos em São Paulo. Em 1974, foi transferida para Cambuquira e se dedicou a trabalhos com pessoas carentes.

Segundo moradores de Cambuquira, Irmã Laura saia pelas ruas da cidade recolhendo todos e chegava a levá-los para serem cuidados na casa onde vivia. Na cidade, criou a Casa do Amor Fraterno para abrigar moradores de rua e também criou o grupo de Alcoólatras Anônimos (AA). Irmã Laura morreu no dia 13 de fevereiro de 2014 no Hospital Santa Marcelina, em São Paulo. Seu corpo foi velado e sepultado em Cambuquira.

Desde a sua morte, todos os meses no dia 13, moradores se reúnem em volta do túmulo dela para rezar o terço e diversas graças já começam a ser atribuídas à religiosa. Dizem que antes de morrer, Irmã Laura teria afirmado: “Não sou santa, mas quero ser a intercessora dos que sofrem de alcoolismo”.

A Igreja Católica só admite processos de beatificação depois do quinto ano de morte da pessoa, mas os moradores já começaram a buscar depoimentos para entrar com o processo de beatificação de Irmã Laura.

Fonte: G1


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo