Fruticultura é exaltada como novo segmento econômico para produtores em Muriaé

A live do Dia de Campo da Fruticultura ressaltou as espécies mais cultivadas na região para que as mesmas sejam uma nova fonte econômica para o agricultor.

O evento que reuniu a Associação do Produtor Rural de São Sebastião da Vargem Alegre, Emater e Administração Municipal ficará disponível no Facebook da Prefeitura de Muriaé para que todos possam assistir. Pessoas que queiram saber mais sobre uma das culturas de frutas podem tirar as dúvidas, deixando um comentário abaixo do vídeo, que todas elas serão respondidas.

O primeiro assunto tratado foi a ‘Importância do Associativismo’ com experiênciais apresentadas pelo secretário de Agricultura de São Sebastião da Vargem Alegre, Eduardo Almeida. De acordo com ele, uma associação alavanca grandes projetos na região. “As pessoas têm um objetivo, sabem onde querem chegar, porém sozinhas ficam sem muitas expectativas. Quando se ligam a um grupo já em desenvolvimento, a atividade ganha andamento”, lembrou o palestrante, convidando agricultores da região a cultivar a uva.

A segunda apresentação foi do presidente da Associação de Produtores de Muriaé e Região, Amaury Guarçoni, que exaltou a ‘Cultura da Uva’. Segundo ele, seja numa área de altitudes elevadas ou baixas, é possível realizar grandes parreiras de uva. “Trabalhamos inicialmente com esta fruta saudável, bem resistente ao sol, por termos o intuito de produzir poupas para o comércio local e até mesmo, quem sabe, criarmos uma vinícula e produzirmos vinho para saborear ou comercializar”, disse satisfeito com os resultados colhidos no município.

Logo em seguida, cada um com sua devida cultura, falaram os especialistas e técnicos em fruticultura da Emater – MG, Robério Torres e Adenilson Mendes. O primeiro, engenheiro agrônomo, dissertou sobre a ‘Cultura da Banana’ – uma fruta da qual não se perde nada, tudo é utlizado. “É a segunda espécie mais consumida do planeta. Uma ótima opção para ser cultivada na região, tendo os devidos cuidados com a plantação, pois para cultivares da banana é preciso obter mudas de laboratório, para que não tragam doenças de outros solos e sejam mais resistentes a pragas”, disse ele.

A quarta e última apresentação foi realizada pelo extensionista da Emater, Adenilson Mendes, que incentivou o agronegócio por meio da ‘Cultura do Abacate’. “Importamos a fruta do Chile, porém temos um tipo de solo perfeitamente adaptado a plantação dela e em condições para desenvolver boas colheitas. Ela é nutricional e economicamente produtiva. É resistente tanto na árvore – onde é produzida, quanto depois de colhida e suporta bem o transporte por longos trechos. Vale a pena cultivar como uma forma de diversificar a economia do município e de localidades vizinhas”, concluiu.

Fonte: PMM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo