Muriaé agro: apresentação de resultados e novas tecnologias

Reunião de Benchmarking do primeiro ano do programa de Assistência Técnica e gerencial (ATeG) Balde Cheio, a Novo Agro Ventures, o Clube de compras coletivas e casos bem-sucedidos de participantes do programa Negócio Certo Rural marcaram a programação do evento realizado na quarta-feira (8) pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Muriaé em parceria com o Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos e a prefeitura local, com apoio do Sicoob Credisudeste e Sicredi.

Dezenas de produtores e seus familiares acompanham o encontro. O presidente do Sindicato, Altomirando Viegas de Carvalho Neto agradeceu a presença de todos e enfatizou o compromisso da entidade em oferecer oportunidades de crescimento para o agronegócio de Muriaé. “Estamos sempre buscando alternativas para melhorar a vida dos nossos produtores rurais, esse evento é mais uma ação para mostrar resultados e dizer que estamos à disposição”.

Representantes da prefeitura salientaram a relevância da parceria entre a administração pública por meio das secretarias de Agricultura e de Desenvolvimento Econômico com o Sindicato e o Sistema FAEMG. Os secretários destacaram a promoção de cursos e programas especiais principalmente para atender às necessidades dos agricultores familiares com um ponto estratégico da parceria e informaram que em 2022º município investirá no Centro de Distribuição de Alimentos como possibilidade de escoamento da produção agrícola de Muriaé, no atacado, e na piscicultura ornamental.

Programa ATeG

O supervisor do ATeG Balde Cheio, Paulo Henrique Lelis e o técnico de campo Mikel Ferreira falaram sobre as diretrizes do programa e apresentaram dados gerais sobre a abrangência e nível de satisfação dos participantes no Estado.

Durante o Benchmarking, Mikel mostrou o andamento do primeiro ano de acompanhamento dos 30 produtores do grupo. Na média, a produção diária de leite nas propriedades foi de 195 litros e o grupo conseguiu manter 66,49% das vacas em lactação. De acordo com os dados, a margem bruta por hectare/ano alcançada pelos produtores alcançou a média de R$ 3.031,36, e obtiveram lucro médio de 0,15 por litro de leite.

O técnico destacou que os resultados foram significativos e que os desafios da gestão estão sendo superados. No começo muitos produtores tiveram dificuldades em tratar dos números, mas já compreenderam a importância de conhecer seus custos para ter sucesso na atividade. Até o fim do ciclo o grupo terá mais resultados positivos”, comentou Mikel.

Crescimento e qualidade

Para o casal Alcione Gomes do Prado e Rogério Prado, atendidos pelo programa, o ATeG Balde Cheio é um incentivo. “Nos ajuda a conduzir a atividade para ter bons resultados. Sozinhos não sabemos como planejar e buscar novos meios de trabalhar, mas com o programa conseguimos caminhar mais tranquilos e na direção certa. Mudamos o manejo e conseguimos aumentar a renda. Os cursos do Sistema FAEMG também contribuem com a nossa capacitação e facilitam o dia a dia na propriedade”.

O produtor Lucas Mansur, de 23 anos, morador de Cachoeira Alegre representa a quarta geração de produtores de leite da família. Para ele o ATeG está sendo a oportunidade de alavancar os negócios por meio das técnicas corretas e da atenção à gestão. Antes do ATeG o jovem estava se dedicando mais à recria, e no último ano, mais atento à produção de leite, alcançou uma média de 160 litros por dia com nove vacas.

“Não imaginava que o programa seria tão essencial para o meu crescimento. Trabalhando a vida toda com leite a gente tem uma noção mínima, que nem sempre é a correta sobre o manejo, mas não consegue administrar corretamente a propriedade. Agora conheço meus gastos e faço conta de tudo para ver o meu lucro”. Pretendo melhorar a genética dos animais e a qualidade do leite para continuar desenvolvendo e vendo os bons resultados”.

“A avaliação desse primeiro ano no ATeG Balde Cheio é muito positiva. Aprendemos novas tecnologias e aplicamos no sistema de ordenha e com a ajuda do Mikel sabemos o que precisamos melhorar. Vimos mudanças em muitos aspectos. Na época da seca, por exemplo, tivemos aumento de cerca de 40% na produção de leite na comparação com o ano passado”. Gustavo Melo, produtor.

Novo grupo

Mais 30 produtores iniciaram um novo grupo do ATeG Balde Cheio no município a partir de 15 de dezembro. O programa será realizado em parceria com o Sicoob Credisudeste. O médico veterinário Rafael Ferreira tem grande experiência e conhecimento sobre a pecuária leiteira na região será o técnico de campo responsável pela turma.

Ele já realizou os diagnósticos junto aos participantes e acredita que o programa seguirá alavancando a atividade em Muriaé. “A maioria dos produtores da nossa região não tem assistência acessível, e o ATeG oferece esse serviço de forma gratuita com qualidade. A nossa expectativa é poder ajudar os produtores a crescer e evoluir”.

“Como cooperativa acreditamos que devemos tralhar em prol do desenvolvimento econômico e social e o ATeG tem um papel importante na busca por esse objetivo porque além de ajudar a profissionalizar a gestão campo, e colabora na educação e disciplina financeira ensinando os produtores a enxergarem a propriedade como uma empresa. Agradecemos a confiança e a parceria do Sindicato e do Sistema FAEMG nessa missão” – Clodoaldo Heitor, gerente de relacionamento e OQS do Sicoob Credisudeste

Novo Agro Ventures

O CEO da Novo Agro Ventures, Léo Dias esteve no evento e explicou aos produtores sobre o principal objetivo da empresa, que é levar soluções tecnológicas para o agronegócio brasileiro. Na oportunidade ele salientou a importância do alinhamento dos produtores com a inovação, e com as demandas do mercado para o desenvolvimento do campo e a melhoria da sua qualidade de vida.

“O Sindicato de Muriaé está comprometido com os produtores, e a grande presença deles nesse evento mostra que os produtores estão dispostos a trabalhar de maneira conjunta. Nós queremos ser parceiros porque não tem mais trabalho sem pensar em tecnologia. Hoje o produtor é digital, é tecnológico e nós acreditamos que juntos podemos ser mais fortes”, comentou

A entidade está mobilizando os produtores para formar o Clube de compras coletivas gerido pela startup Comprador Moderno, que compõe o portifólio da NovoAgro. O CEO da empresa, Luís Piñel apresentou a proposta de compra de 5000 quilos de milho e convidou os produtores interessados a se juntarem ao grupo. Ele enfatizou a credibilidade e seriedade do processo de compra conjunta, e os benefícios financeiros dessa modalidade.

“O Sindicato está disposto em investir no desenvolvimento econômico de todos os associados e vocês precisam aproveitar essa oportunidade. Para fazer dar certo e chegarmos a esse objetivo é preciso união, esforço e trabalho. Nós sabemos que quem compra bem, vende bem e é isso que almejamos”.

Luís também apresentou aos produtores outras possibilidades de negócios que a Comprador Moderno pode mediar, como a venda de milho, boi magro e para engorda para a empresa Frisa. Para 2022, a empresa já encomendou 1 milhão de sacas de milho que serão vendidos com intermédio da startup.

Fonte: Senar MG

Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo