Prefeitura de Muriaé faz canalizações nas vias rurais e soluciona erosões

Duas equipes da Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, estão nas estradas solucionando os problemas. O serviço foi realizado no distrito de Vermelho (Águas Claras, Santo Cristo), Pirapanema, Macuco (Belo Monte), estrada da Cachoeira do Sossego, Boa Família, Bom Jesus, São João do Glória, São Fernando (estrada carioca e Siricute), Itamuri e Usina da Fumaça.

Mais de 26 canalizações foram instaladas nas estradas rurais este ano. O terreno molhado gera lama e prejudica os deslocamentos de pessoas e veículos que encontram dificuldades para transitar. Os caminhos são usados para transportar leite, hortaliças e legumes, assim como para moradores resolverem as pendências na cidade. “Neste perímetro, a estrada precisa estar sempre adequada a oferecer segurança para os moradores que necessitam circular pela região”, disse o assessor da Secretaria de Agricultura, Fernando Levati.

As chuvas que caíram excessivamente nos últimos meses formaram poças e geraram desnivelamento das pistas, assim como provocaram muitas erosões, levando as extremidades das estradas a romperem. Na altura de São João do Glória a estrada desceu completamente. Os moradores ficaram sem ter caminho para chegar a cidade, precisando se deslocar até outro distrito para ter acesso ao município de Muriaé.

A Prefeitura destinou uma das equipes da Secretaria de Agricultura para conter o desmoronamento. “A estrada estava intransitável. Não podíamos passar nem a pé. Estava perigoso. A terra estava descendo com a força das enxurradas e acabou por completo com a estrada na altura da cachoeira. Há alguns anos nós pedíamos um e outro e ninguém nos atendeu. Este ano o trabalho foi realizado. Obrigada ao prefeito José Braz. Todos nós aqui da região ficamos gratos”, disse a proprietária da Fazenda Cachoeira, Meire Vasques Bellesso, que com o esposo, José Bellesso, usam a via de terra para escoar a produção leiteira.

Neste local foi feito uma grande escora com pedras trazidas de outras partes das estradas para formar um platô e, então, jogar a terra por cima e compactá-la até estar firme para não ceder. “Trouxemos muitas rochas e fizemos o manilhamento para as águas escorrerem e não mais destruírem a pista em dias de fortes enxurradas”, lembrou o encarregado de estradas rurais, Chico Mariano.

Fonte: PMM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo