Procon inspeciona valores da cesta básica em supermercados de Muriaé

O Procon iniciou neste dia 12 de maio uma vistoria nos supermercados da cidade para verificar o valor da cesta básica nos estabelecimentos. A averiguação foi solicitada pela Câmara de Vereadores, que recebeu muitas reclamações de preços abusivos e decidiu criar uma sindicância através da Comissão dos Direitos do Consumidor.

A unidade de Muriaé de fiscalização do Código de Defesa do Consumidor deverá permanecer neste tipo de serviço até terminar a visita a todos os estabelecimentos. Durante as diligências, serão solicitadas as notas fiscais de compra e venda dos itens pesquisados durante o 2º semestre de 2020, bem como dos três últimos recebimentos, objetivando fiscalizar a cobrança de preços excessivos e injustificados dos produtos. Os principais produtos questionados são o arroz, feijão, açúcar, café e óleo.

De acordo com o diretor do Procon, Cristiano de Assis, durante os próximos dias, com a ajuda da Polícia Militar, a fiscalização será realizada nos supermercados do município.

“Faremos um levantamento dos preços nas prateleiras e o valor que foi comprado pelo estabelecimento. Em seguida, vamos comparar com os preços praticados em 2020. Nosso objetivo e averiguar se não está tendo repasse abusivo para o consumidor”, disse.

Os vereadores Miriam Facchini, Christian Tanus Bahia e Evandro Cheroso, titulares da Comissão dos Direitos do Consumidor, acompanharam as primeiras inspeções para registrar os levantamentos.

“Recebemos vários questionamentos da população dizendo que cada vez que vão aos mercados encontram preços mais altos. Não estão conseguindo comprar as cestas básicas dentro do padrão de que antes consumiam. Precisaram tirar alguns produtos. A base disto tudo, é o alto índice de desemprego e a renda inexistente que as famílias passaram a ter neste período de pandemia. Nós pretendemos, com está reivindicação, alcançar resultados positivos para as pessoas mais carentes”, frisou a legisladora, idealizadora do projeto.

Ao final da operação, o Procon fará planilhas de base de custos e deverá elaborar um relatório técnico. Os resultados serão encaminhados a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Muriaé e Ministério Público para as possíveis providências.

Fonte: PMM


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo