Vereadores abraçam causa de beneficiários que aguardam há 3 anos pelas casas do Vermelho II



A Comissão de Habitação da Câmara Municipal de Muriaé protocolou uma representação em apoio aos beneficiários que aguardam há três anos pelos imóveis do Residencial Vermelho II, que é composto de 563 residências. Mesmo com contrato já assinado, eles ainda não receberam as casas.

– Muito nos assusta que até hoje este empreendimento necessita de infraestrutura, como escola de educação infantil, creche, dentro outras, para o bom funcionamento do empreendimento, porém ainda não foram construídas no local. Os contemplados se organizaram nos últimos meses e nos procuraram buscando ajuda para solucionar esta triste situação, pois os mesmos estão pagando aluguel e vendo suas residências praticamente abandonadas naquele local – diz trecho da representação, que foi encaminhada ao deputado federal Renzo Braz (PP), para que se empenhe junto ao Governo Federal para solucionar a situação.

De acordo com o documento, devido a demora na entrega das casas, muitas delas acabaram se deteriorando com o tempo, necessitando inclusive de uma reforma geral, como pintura, troca de piso e do aquecedor solar, para que os futuros moradores possam habitá-las com dignidade.




A Comissão de Habitação da Câmara Municipal de Muriaé é composta pelos vereadores Jair Abreu (PT), David Lacerda (DEM) e Celsinho (DEM).

Fonte: Guia Muriaé

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.