PM de Muriaé prende quatro e recupera 15 celulares roubados em loja de Leopoldina

Quatro pessoas foram presas, na tarde desta sexta-feira (31), durante uma ação da Polícia Militar de Muriaé.

Após denúncia anônima, as equipes do Tático Móvel e da ROCCA (Rondas Ostensivas com Cães Adestrados) foram até uma residência na Avenida Dona Maricas, no bairro Prefeito Hélio Araújo (Bico Doce).

No local, os militares abordaram dois homens e duas mulheres. Após buscas, foi encontrado um revólver calibre 32, carregado com quatro munições intactas, cerca de 15 celulares novos, todos de procedência duvidosa, e certa quantia em dinheiro.

Foi verificado pelos policiais que os aparelhos haviam sido roubados em uma loja na cidade de Leopoldina.

Um dos homens alegou ter comprado os celulares, porém não apresentou nota fiscal dos aparelhos.

Os autores foram presos em flagrante e conduzidos a Delegacia de Polícia, juntamente com os materiais apreendidos.

Roubo em Leopoldina

Conforme matéria do site O Vigilante, o assalto em Leopoldina aconteceu no dia 17 de agosto.

O roubo foi praticado por um homem, com a cobertura de outro indivíduo que estaria em um veículo. Duas funcionárias do estabelecimento foram rendidas pelo autor, que as deixou amarradas no interior de um cômodo nos fundos do imóvel.

Segundo a PM, ao chegarem no estabelecimento os policiais encontraram duas funcionárias, de 23 e 26 anos, apavoradas e trancafeadas em um cômodo do depósito daquela loja. Ao entrevistar as vítimas, elas informaram que um cidadão branco, de estatura mediana e magro entrou no comércio com duas caixas vazias e apresentou uma nota com uma logomarca de uma empresa de telefonia. Segundo as jovens, o autor informou que seria uma entrega de “merchan”, quando saiu da loja e retornou anunciando o assalto. As funcionárias perceberam um volume na cintura do assaltante, aparentando ser uma arma. Ainda de acordo com o relato, o homem ordenou que elas abrissem as vitrines e colocassem todos os celulares e dinheiro nas caixas e em uma sacola e disse ainda que não as machucaria. O criminoso mandou que elas entrassem em um cômodo e as amarrou com uma fita plástica e disse que após às 19h00 mandaria uma pessoa para soltá-las. Elas ficaram trancadas e amarradas por cerca de 40 minutos, quando gritaram por socorro.

Populares ouviram os gritos das funcionárias e acionaram a PM que chegou rapidamente ao local. A Perícia Técnica da Polícia Civil também foi acionada e realizou os serviços de praxe na loja. As polícias Militar e Civil realizam rastreamento com o objetivo de localizar os autores do roubo.

Fonte: Guia Muriaé, com informações do O Vigilante


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Experimentoe o Novo Livre