Após cursos do SENAR, produtores de Pedra Bonita criam associação

“Sempre foi um sonho da nossa comunidade, que com muito esforço e busca por conhecimento, agora se tornou realidade”, conta Eliab Lopes de Souza vice-presidente da Associação dos Produtores Rurais de Matipó Grande criada recentemente em Pedra Bonita, na Zona da Mata mineira.

Os nove membros fundadores iniciaram o processo de associativismo após participarem, em 2020, do Programa Gestão com Qualidade em Campo (GQC) e do curso Organização para Atividades Coletivas oferecido pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Miradouro.

O instrutor dos cursos, José Heleno Húngaro segue acompanhando o grupo incentivando e esclarecendo dúvidas. Ele explica que a turma fez parte do projeto piloto que a regional Viçosa desenvolveu para apresentação da proposta de um programa especial que estimule o cooperativismo e o associativismo entre os produtores rurais.

José Heleno destaca que durante a capacitação elaborou-se o estatuto e regramentos de funcionamento da associação que tem como principal objetivo apoiar o desenvolvimento dos produtores na atividade cafeeira, articulando compras conjuntas de insumos e equipamentos para beneficiamento do café e o apoiando a comercialização.

Os associados também pretendem aproveitar as belezas naturais e outros atrativos da região investindo em atividades voltadas ao turismo rural, ecológico e de aventura, e assim, potencializar as ações e os benefícios que a entidade poderá levar à comunidade.

“O objetivo é melhorar nossa qualidade de vida através da nossa união. Buscamos ajuda para superar os desafios e dificuldades e hoje temos nossa associação registrada. Estamos certos de que ela será de grande valia para nós e para toda a nossa comunidade. Já fizemos compra conjunta para conseguir melhores preços, e em breve receberemos novos membros”! – John Lenner Henrique Serafim, membro fundador e secretário da Associação.

“É uma satisfação poder ver frutificar aquilo que fizemos no curso. Sempre reforço que essa movimentação em grupo tem grande importância socioeconômica. Não vejo outra forma para garantir o fortalecimento, o crescimento e o desenvolvimento do pequeno produtor, senão pelo associativismo e cooperativismo. Assim eles conseguem competitividade, expansão de seus negócios e melhoria nas condições de vida e bem-estar geral”. – José Heleno Húngaro, instrutor.

Fonte: Senar


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo