Home / Notícias / Região / CAPS de Simonésia realizou atividades no Dia Nacional de Luta Antimanicomial

CAPS de Simonésia realizou atividades no Dia Nacional de Luta Antimanicomial

A manhã da última segunda-feira, dia 18 de maio, foi realmente muito especial. No Dia Nacional de Luta Antimanicomial, o CAPS “Esperança” de Simonésia, saiu às ruas e fez um movimento contagiante. Com a participação dos profissionais, usuários do CAPS e seus familiares, da prefeita Marinalva Ferreira, pessoas ligadas à área da saúde, educação, assistência social, profissionais do CAPS de Manhuaçu e da sociedade, em busca de maior conscientização.

Neste ano o lema escolhido pelo CAPS “Esperança” foi: “Penso, louco existo. Na felicidade eu insisto”. “Escolhemos esta frase inspirada no pensamento de Descartes. Esta escolha nos ajuda a fortalecer nossa missão, de que a sociedade precisa reconhecer que estamos aqui e fazemos parte dela. Para complementar e reforçar a ideia, nosso Bloco, nomeado Mente Solta, escolhido pelos usuários do CAPS, reforça o quanto essa liberdade nos faz bem, criativos, mentalmente mais saudáveis e com muito mais expectativas para um futuro cada vez melhor”, reforça a enfermeira Daiane Fialho.




Para a assistente social do CAPS, Varlei de Moura Prata, esse movimento se caracteriza pela busca dos direitos das pessoas com sofrimento mental. “Dentro desta luta está o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos ‘tratamentos’. Assim sendo, hoje nós convidamos a todos a refletirem para que o 18 de Maio possa ser compreendido como mais um dia de luta e resistência aos processos de exclusão e segregação daqueles sujeitos que, em muitos locais, ainda são submetidos às práticas manicomiais. Portanto, ‘Que se abram as ruas, as portas, as mentes, os olhos e acima de tudo os corações !!!’”, enfatizou a profissional.

Para a prefeita, Marinalva Ferreira, o momento é ímpar. “Faço questão de participar todos os anos. Todos do CAPS são muito comprometidos com o que fazem, trabalham com carinho e isso é fundamental. Nos preocupamos muito, quanto à medicação na hora certa, a refeição de qualidade, os atendimentos a eles, consultas com psiquiatra. Em fim, vejo que tudo tem dado certo, graças ao empenho de todos, eles transmitem um grande aprendizado a todos nós”, ressaltou.

O Secretário de Saúde, Fernando Bento, falou sobre o evento, bem como a importância do CAPS. “O preconceito da sociedade e até da família em relação ao doente mental é um problema que precisa ser superado. O CAPS trabalha na orientação às pessoas e à família, que o usuário bem tratado e tomando as medicações, com apoio psicológico, pode sim ter uma vida saudável. O encaminhamento para um hospital psiquiátrico só ocorre em caso extremo”, afirmou.




Para a Psicóloga do CAPS, Astharianna Alves de Barros “Em alguns casos a internação pode ser necessária e não é contra isso que devemos lutar, mas sim pela qualidade do tratamento, pela humanidade, pela inclusão. A Luta Antimanicomial não se faz apenas nesta data, mas, sim todos os dias, quando nós criamos coragem para romper com as barreiras do preconceito, sem excluir aquele que pensa, sente, e se comporta de forma diferente de nós”. “Manicômio nem sempre é um lugar construído com tijolos e concreto, com portas, janelas e grades. Às vezes ele é construído em nossos pensamentos e atitudes, quando optamos por excluir ao invés de acolher, proporcionar tristeza ao invés de felicidade, prender ao invés de libertar”, finalizou a profissional.

Fonte: Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Simonésia e CAPS / Fotos: Matheus Dutra




Confira também

Concursos em MG: órgãos abrem inscrições nesta segunda para quase 150 vagas

Pelo menos quatro órgãos abrem as inscrições nesta segunda-feira (20) para concursos públicos em Minas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *