Com incentivo das filhas, família de Espera Feliz investe em café especial

Aos 14 anos, Heloísa Vilete Magro foi a grande incentivadora dos pais na produção de café especial. Seu sonho contagiou a família inteira, inclusive a irmã mais nova, Maria Beatriz, de três anos, que já se envolve na atividade e se diverte na seleção dos grãos maduros do tipo ‘celeza’, como ela diz.

Além do estímulo das filhas, os pais, Cristiano da Silva Magro e Cleidiane Leal Vilete Magro contam com os cursos do Sistema FAEMG/SENAR/INAES oferecidos em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Espera Feliz para melhorar a qualidade da produção familiar.

“Heloísa nunca esteve tão empolgada e querendo fazer parte do dia a dia da propriedade. Maria também quer aprender tudo e, como todos nós, está encantada com esse novo mundo que se abriu para a gente”, contou a mãe Cleidiane.

Recentemente a família iniciou a venda de café especial torrado. A marca, Maria Helô é uma homenagem às filhas. A conquista é celebrada por todos, especialmente por Heloísa, que já pensa em cursar a graduação em Agronomia para seguir adquirindo conhecimento e melhorando o empreendimento familiar.

Treinamentos

O casal conta que os cursos do SENAR MINAS o fizeram mudar a relação com a cafeicultura. A produção de café de qualidade superior é fruto de conhecimento colocado em prática. Atentos aos processos de colheita e pós-colheita, eles construíram terreiros suspensos e estufa na propriedade. Cleidiane diz que o trabalho com café especial se tornou uma paixão. “Passamos a ver como um alimento e não mais como apenas o nosso meio de vida. Passamos a querer saber mais sobre o assunto”, comentou.

Cristiano que trabalhou a vida toda com café, admite que está reaprendendo a lidar com a atividade “É muito mais prazeroso trabalhar da forma certa”, enfatizou o produtor que planeja investir também em uma torrefação.

ATeG Café+Forte

A família faz parte do grupo do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Café+Forte, realizado pelo Sistema FAEMG em parceria com o Sicoob Credisudeste, em Espera Feliz. O acompanhamento é feito pelo técnico Michel Silva. Ele destaca o empenho e a dedicação da família como um diferencial para a conquista dos resultados.

“Eles já estão fazendo a diferença na comunidade pelo exemplo que dão, e agora estão motivados a continuar fazendo diferente com as orientações do ATeG. Eles são interessados nas técnicas usadas na lavoura, análise de solo, colheita e pós-colheita e buscam inovação para crescer na atividade cafeeira, para aproveitar todas as áreas da propriedade e empreender”, explicou Michel.

“Temos grandes expectativas com o ATeG! Queremos melhorar a qualidade e a produtividade do nosso café e, principalmente, aprender a gerenciar com eficiência o nosso sítio pois achávamos que estava sendo bem-feita, mas vimos que temos muito o que aprender. Estamos muito felizes por fazer parte desse projeto e muito esperançosos com o nosso futuro a partir dele”, pontuou Cleidiane.

Para o futuro

Investir no turismo rural recebendo visitantes na propriedade é um sonho da família. O primeiro passo para a concretização acontecerá ainda este ano com inauguração da Cafeteria Maria Helô. “Só temos que agradecer ao SENAR, ao Sindicato, ao instrutor, Milton Flores e ao técnico Michel por tudo que já nos apresentaram e certamente ainda vamos colher muitos frutos dessa parceria”, disse a produtora.

Fonte: FIEMG


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo