Despachante de Ipatinga está entre investigados presos por furto de caminhões e adulteração de chassi

Nesta semana, a Polícia Civil de Minas Gerais deflagrou a segunda etapa da operação Graneleiro que culminou no cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão em desfavor de dois homens, de 33 e 39 anos, suspeitos de integrarem organização criminosa especializada na prática dos crimes de furto de caminhões e de adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Essa fase foi deflagrada nos municípios de Santa Rita de Minas e de Ipatinga. Já a primeira etapa da manobra foi desencadeada nas cidades de Fervedouro e Vermelho Novo, em outubro, e resultou na prisão de dois investigados, de 40 e 72 anos.

Segundo informações do delegado Cristiano Silva de Almeida, as investigações tiveram início em 23 de abril deste ano, quando um caminhão graneleiro foi furtado nas proximidades do pátio de uma importadora de café, no município de Divino, na Zona da Mata mineira. Na noite dos fatos, o automóvel foi subtraído por um indivíduo que saiu de um veículo Volkswagen Gol, conduzido por outra pessoa.

Apurações

Após trabalhos investigativos realizados pela Polícia Civil em Divino, foi possível prender, na primeira fase da operação, deflagrada no último mês, um dos investigados, o motorista do Gol, de 40 anos, que confessou a prática do crime, assim como o pai dele, de 72 anos, suspeito de auxiliar o grupo criminoso. Na ocasião, foram encontrados pedaços de chassi do caminhão escondidos na casa do idoso, situada na cidade de Fervedouro, bem como apreendidos placas e plaquetas de identificação do mesmo veículo, documentos e decalques do chassi na residência do outro homem, no município de Vermelho Novo.

Desdobramentos das investigações também resultaram na realização da segunda fase da manobra, ocorrida na manhã de segunda-feira (8/11). Na ocasião, foi preso, na cidade de Santa Rita de Minas, um rapaz de 33 anos, suspeito de conduzir o caminhão durante o furto. Na época, os policiais civis também se deslocaram até Ipatinga a fim de cumprir mandado de prisão em desfavor de um despachante, de 39 anos, suspeito de ter sido contratado para “esquentar” veículos furtados, contudo, naquela data, ele não foi encontrado. Mas, nesta quarta-feira (10/11), policiais civis em Divino, com apoio da Polícia Civil em Ipatinga, conseguiram localizar e prender o despachante.

Além do caminhão furtado em Divino, a Polícia Civil suspeita que a organização criminosa também esteja envolvida em outro crime, ocorrido no dia 9 de setembro, na cidade de Ponte Nova. O grupo é investigado pela prática dos crimes de furto qualificado, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e associação criminosa.

Os presos foram conduzidos ao sistema prisional, permanecendo à disposição da Justiça.

Fonte: PCMG


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo