Dia de Campo reúne em Coimbra produtores de café das Matas de Minas

O Sistema FAEMG/SENAR/INAES foi um dos parceiros do Dia de Campo realizado pelo Conselho das Entidades dos Cafés das Matas de Minas, em Coimbra.

O evento reuniu dezenas de cafeicultores na Fazenda Oásis. Na abertura do evento, o proprietário Sérgio Maciel destacou a importância da união dos produtores da região para o reconhecimento nacional e internacional dos cafés produzidos na Região das Matas de Minas.

O gerente do Sistema FAEMG em Viçosa, Marcos Reis enfatizou a qualidade dos cafés produzidos na região, os prêmios conquistados e as condições climáticas favoráveis. “A região tem muito potencial e os produtores precisam aproveitá-lo trabalhando a qualidade. O Dia de campo é uma oportunidade para debater temas que poderão ajudá-los e os nossos treinamentos e programas estão à disposição para todos os interessados em evoluir na atividade”, disse.

Durante o evento os participantes passaram por quatro estações nas quais puderam se informar e debater sobre: o Programa Certifica Minas Café como ferramenta de gestão na propriedade, os aspectos práticos da fertilidade do solo e nutrição do cafeeiro, os desafios e oportunidades da mecanização na Região das Matas de Minas, em que puderam acompanhar uma demonstração do uso de máquinas na lavoura, e sobre o uso da poda na cultura do café.

O instrutor do SENAR MINAS, Milton Flores conduziu o espaço sobre podas junto ao técnico do Educampo – Café/ Sebrae-MG, João Marcos. Milton, que esteve pela primeira vez em um Dia de Campo salientou que o evento é valioso para os produtores e para o avanço da cafeicultura.

Programa ATeG Café+Forte

Há um ano participando do grupo do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) em Paula Cândido, Glaucia Silva Duarte Lopes conta que o programa tem auxiliado a família a organizar a propriedade. Para ela o Dia de Campo foi uma oportunidade de aprendizado e troca de conhecimento. “Vi muitas técnicas que podem ser adaptadas para a nossa propriedade”, comentou.

A analista técnica do ATeG, Nathalia Rabelo declarou que os Dias de Campo engrandecem o programa e pontuou que, nessa edição, além das questões técnicas abordadas, a estrutura da fazenda visitada também colabora para que os produtores se atentem à sustentabilidade, ao meio ambiente e a segurança do trabalho.

“É evidente a preocupação dos proprietários com esses pontos, vimos muitas placas de identificação e trabalhos em andamento. Essa é uma propriedade que pode ser modelo para técnicos de campo e produtores”, disse.

“Encontros como esse permitem a integração dos produtores entre si e com os técnicos. Além disso, ver de perto um caso de sucesso também vai ajudar o trabalho do técnico na propriedade, reforçando a importância e a validade as práticas que ele trabalha com cada atendido”. – Ricardo Tuller, analista técnico do SENAR MINAS .

“No Dia de Campo nós recebemos novas informações e ideias, trazemos nossas visões sobre o trabalho na cafeicultura. Nesses espaços é possível confirmar se estamos no caminho certo, alinhados com outros produtores que vivem a mesma realidade e sanar dúvidas. A vivência também ajuda o produtor a entender melhor as tomadas de decisão necessárias para cada propriedade”. – Laio Almeida, técnico de campo do ATeG em Paula Cândido.

“Acompanhar as práticas em uma grande propriedade é muito importante para termos acesso às inovações e tecnologias aplicadas e poder levar essa experiência para os produtores atendidos. O estágio no ATeG nos proporciona alinhar a teoria e a prática, e a participação no Dia de Campo é mais uma ferramenta para aprendermos a lidar com os produtores e acumular experiências que vão além dos portões da Universidade”. – Thais Aguiar, estagiária do ATeG em Paula Cândido.

“O evento foi muito proveitoso e enriquecedor. Reforcei conhecimentos que já tenho e aprendi técnicas que ainda não conhecia. A discussão sobre a certificação também foi muito interessante porque ainda não é muito difundida e com certeza é um conhecimento que poderemos compartilhar com os produtores do ATeG”. – Flávio Silva, estagiário do ATeG em Manhuaçu.

Região das Matas de Minas

O Selo de Origem Região das Matas de Minas é utilizado por produtores de cafés especiais. A região é composta por 64 municípios localizados em uma área de Mata Atlântica no leste do estado de Minas Gerais. O Dia de Campo foi uma iniciativa para incentivar que mais produtores da região utilizem o selo e se empoderam da marca e do potencial produtivo da região.

Além do Sistema FAEMG, a Emater (MG), o Sebrae (MG), a Associação de Cafés Especiais de Araponga (ASCA) e a União dos Produtores de Café das Matas de Minas (UP Café) foram parceiros na realização do evento.

Fonte: FIEMG


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo