Eleições: carreata da vitória termina com suposto disparo de arma de fogo

A Polícia Militar não confirmou que tenha ocorrido disparos de arma de fogo durante a carreata da vitória realizada na noite desta segunda-feira, 16 de novembro, em Miraí.

A denúncia de populares foi feita pelo aplicativo de mensagens WhatsApp e viralizou com a divulgação de diversos vídeos mostrando o clima de tensão que tomou conta dos participantes.

De acordo com estas mensagens, um jovem, filho do atual prefeito Luis Fortuce, teria atirado no momento em que a carreata passava em frente ao prédio onde reside.

Há versões de que ele queria atingir o candidato vitorioso na eleição do último domingo, Adaelson Magalhães, e outras que afirmam apenas a ocorrência de disparos.

Ninguém ficou ferido e a Polícia Militar também não encontrou no local provas do crime, como marcas no chão ou na parede produzida por projétil, não localizou a cápsula da bala nem tampouco a arma de onde teria partido o disparo.

Levado pelos policiais para prestar depoimento, o suposto autor negou seu envolvimento e apresentou testemunhas a seu favor. O delegado de plantão, Diego Matos de Vilhena, instaurou inquérito e todos foram liberados.

O comandante da Polícia Militar naquela cidade, major Willian Machado, coordenou as operações policiais no local juntamente com o tenente Bretas, responsável pelo policiamento em Miraí.

De acordo com o oficial, após a retirada do suspeito de sua casa pela PM para prestar depoimento, a multidão se dispersou e o clima de tranquilidade foi restabelecido.

Fonte: Marcelo Lopes


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo