Hospital de Leopoldina alerta para risco de não conseguir atender mais pacientes graves de Covid-19

Foto: Jornal O Vigilante Online
A Casa de Caridade Leopoldinense, após comunicar a todas as autoridades competentes, vem alertar sobre a situação crítica em que se encontra, em função do aumento exponencial e em escala geométrica, dos casos de Covid-19 em Leopoldina e região, chegando a ficar com 100% de ocupação em sua UTI-Covid por vários dias.

Neste cenário, pedimos a colaboração de toda população para que respeite as normas de distanciamento social e cuidados para evitar a infecção por conta da doença.

Confira a íntegra no documento abaixo:

Nosso estoque do “kit intubação” nesta data é muito baixo e, se o número de casos graves de Covid-19 não for desacelerado e continuar no ritmo atual, este estoque será suficiente para aproximadamente 15 dias.

Ressaltamos que sem os medicamentos componentes desse kit o hospital não dispõem de meios adequados para o tratamento dos casos graves de pacientes acometidos pela Covid-19.

O problema que enfrentamos se estende a todos os hospitais do estado e a imprensa noticia essa situação país afora, dando a entender que o risco de desassistência à população não é meramente potencial, mas concreto e real caso medidas urgentes não forem adotadas, em conjunto com os diversos órgãos, para reduzir a taxa de transmissão do vírus e, consequentemente, a necessidade de internações.

Fazemos este alerta a nossa comunidade para que todos tenham consciência da grave situação que enfrentamos. É um momento de união de que todos juntos façamos nossa parte para que possamos reverter o quadro atual de internações evitando o colapso de nosso sistema de saúde.

Nota da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG)

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) esclarece que, em virtude da pandemia da Covid-19, houve aumento do consumo de medicamentos utilizados em terapia intensiva – mais especificamente de itens necessários à intubação de pacientes – indicando cenário de escassez, como noticiado em várias regiões do país.

Por essa razão, a SES-MG realiza levantamentos periódicos de estoque dos medicamentos que compõem o kit intubação junto aos hospitais e municípios para monitoramento e adoção de medidas para auxílio no tocante ao abastecimento.

Há, também, maior dificuldade no abastecimento desses medicamentos pelos fornecedores, em razão da alta demanda. A SES-MG também conta com rede solidária, cujo fornecimento desses medicamentos é compartilhado para as unidades de saúde que possuem baixo estoque, de modo a evitar que se esgotem.

É importante ressaltar que mesmo no atual cenário, os hospitais continuam realizando as compras e monitorando os estoques de insumos e medicamentos.

A SES-MG ainda esclarece que o consumo da maioria dos medicamentos em questão cresceu mais de 50%, chegando em alguns casos, como do Atracúrio 10mg/ml (amp 5ML), a um aumento de 229,24%.

Por esse motivo, a SES-MG realiza levantamentos periódicos de estoque para medidas de abastecimento das unidades hospitalares; e fez, ainda, ata de registro de preço, por meio da qual segue solicitando os medicamentos. Também efetuou planejamento extraordinário para aquisição de itens de uso hospitalar de terapia intensiva.

Para os próximos dias está previsto, por parte do Ministério da Saúde, o abastecimento desses insumos para os estados que se encontram em situação de estresse e Minas Gerais está contemplada nessa demanda.

A SES-MG segue trabalhando para garantir que a população seja atendida com os itens necessários ao seu tratamento. Nesse contexto, destaca-se a Deliberação do Comitê Extraordinário covid-19, N° 63, de 4 de julho de 2020, que dispõe sobre medidas de articulação e integração de prestadores de serviço de saúde, visando atenuar o problema por intermédio de arranjos cooperativos entre prestadores.

Fonte: Guia Muriaé


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo