Latrocínio: casal é preso suspeito de morte de taxista em Mirai

A Polícia Civil de Minas Gerais desvendou a morte de um taxista de 62 anos, crime ocorrido em abril, na Zona da Mata mineira.

Na ocasião, o veículo da vítima foi localizado abandonado, na cidade de Cataguases, no dia 3 de abril, e, na mesma data, o corpo do idoso foi encontrado na Zona Rural de Miraí, na localidade conhecida como “Passagem”, dentro de uma vala, com diversos cortes no braço e no punho, indicativos de lesão de defesa.

Um homem de 27 anos e uma mulher de 36 anos foram indiciados, suspeitos de praticarem o crime de latrocínio, na modalidade consumada, conforme disposto no artigo 157, parágrafo 3º, inciso II, do Código Penal.

Investigações preliminares, que contaram com o apoio da Delegacia de Cataguases, reuniram elementos informativos que indicavam a autoria delitiva por parte do casal. Diante disso, foi representada pela prisão temporária dos investigados, que foram presos em junho, na cidade de Leopoldina, após atuação de equipes da Delegacia de Miraí e da Delegacia Regional de Leopoldina.

Apurações indicaram que o casal estaria no interior do veículo, por volta das 21h30, em um bairro da cidade de Miraí, na noite do dia 2 de abril, ocasião na qual o homem estaria na condução e a mulher no banco do carona.

Ainda foram arrecadadas pela equipe da Delegacia de Miraí imagens que indicaram que o veículo teria transitado sentido à localidade conhecida como “Passagem”, na Zona Rural de Miraí, por volta das 18h36, mesmo local em que os suspeitos estariam residindo. O automóvel teria retornado pelo mesmo trajeto, decorridos 39 minutos, sentido à cidade de Cataguases.

Em continuidade às apurações iniciais e diante da obtenção de novas informações que indicavam que o casal suspeito teria se hospedado em um hotel na cidade de Cataguases, a equipe da Delegacia de Miraí realizou diligência no local e localizou diversos documentos pessoais da vítima, documento de porte obrigatório do veículo subtraído, além de variadas notas promissórias. Os investigados também foram formalmente reconhecidos.

Com a conclusão das investigações, os suspeitos foram indiciados, em razão da existência de indícios suficientes de autoria e de prova da materialidade do crime de latrocínio. Também foi solicitada a conversão da prisão temporária em preventiva, medida cautelar deferida pela Justiça.

Fonte: PCMG


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo