Mãe vende bebê no Face, se arrepende após parto e entrega compradores



Cinco pessoas foram detidas, nessa terça-feira (6), após uma suposta negociação de um recém-nascido em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo informações da Polícia Militar, durante a gestação uma mulher teria negociado, através de um grupo do Facebook, o seu bebê com uma família do Rio de Janeiro.

A criança nasceu na segunda-feira (5) e ontem a família que iria comprar o bebê foi buscar o mesmo no Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), no bairro Eldorado, porém a mãe acabou desistindo do “negócio”.




Ela chamou a polícia e revelou o esquema. Quatro pessoas da mesma família foram presas, além da mãe, que permanece internada no hospital sob escolta policial até receber alta médica.

– No momento da abordagem da PM, essa mãe disse que doaria a criança, mas seria por meio fraudulento, sem seguir os trâmites legais da lei de adoção. Mas tudo indica, principalmente pelas conversas nas redes sociais (entre os envolvidos), que trata-se na verdade de uma venda – relatou o tenente Thiago Rangel, da 26ª Companhia do 36º Batalhão da PM.

A polícia acabou apurando que a mãe da criança recebeu dinheiro durante a gravidez como suposta forma de pagamento pelo bebê.

– Eles não revelaram. A informação que foi passada para a gente é que foram realizados diversos depósitos, mas não foi especificada a quantia – ressaltou o oficial.

Os envolvidos foram autuados no artigo 238 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) que prevê prisão de um a quatro anos e multa para quem prometer ou efetivar a entrega de filho a terceiro, mediante pagamento, e também para quem oferecer a remuneração ou recompensa.

Fonte: Guia Muriaé, com informações de O Tempo

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.