Minas Gerais acaba com recomendação pelo uso de máscaras ao ar livre

Uso do equipamento era obrigatório em todo o estado desde março de 2020, com o início da pandemia do novo coronavírus

A partir da melhoria do cenário epidemiológico para a covid-19 em Minas Gerais, acompanhada de um avanço na vacinação, o próximo sábado (12/3) marca a possibilidade de os municípios mineiros facultarem o uso de máscaras em locais abertos e fechados. O anúncio foi feito pelo secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, durante entrevista coletiva concedida na manhã desta quinta-feira (10), na Cidade Administrativa de Minas Gerais.

A orientação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está relacionada aos indicadores de imunização nos territórios. O critério para desobrigação do uso do protetor facial em locais abertos é o município ter atingido pelo menos 80% do esquema vacinal completo (duas doses ou dose única) da população com mais de 5 anos de idade e também ter aplicado a dose de reforço em mais de 40% das pessoas com idade acima de 18 anos. Para locais fechados, os indicadores são 80% da vacinação completa e mais de 70% da dose de reforço.

Os municípios, conforme reiterado pelo secretário, possuem autonomia para avaliar a situação local e adotarem a medida. “Com nosso esquema vacinal de duas doses, reforço em bons índices de cobertura e incidência menor da doença, pode ser feita essa recomendação. A desobrigação não é um desestímulo ao uso. Aqueles que são mais vulneráveis ou estão com sintomas gripais não devem se sentir constrangidos para não usarem a máscara. Ela continua sendo muito importante para proteger um ao outro”, afirmou.

Baccheretti destacou que o critério adotado para as recomendações acerca do uso da máscara tem por objetivo ampliar a imunização nos municípios. “Nós acreditamos que esse é um critério que estimula a vacinação, que é o caminho que nós temos para a saída da pandemia”, disse, lembrando que há doses disponíveis para imunizar todos aqueles que ainda não buscaram a vacina.

O secretário também analisou a situação das crianças. “Nós estamos próximos de 60% de crianças vacinadas no estado. O retorno das aulas colaborou muito para o aumento desses índices. O exemplo do colega imunizado ajuda muito a encorajar a procura”, disse Baccheretti, que realçou as diretrizes para estímulo da vacinação pediátrica, inclusive por meio de busca ativa nas escolas. “As escolas estaduais solicitam o cartão de vacina para acompanhamento e repassam as informações para que as equipes das unidades básicas de saúde possam fazer a busca ativa. Nós seguimos com a orientação de combater fake news e fazer busca ativa. O problema não está na vacina, está é na doença”, declarou.

Reforço

Segundo o secretário, a ampliação da cobertura de doses de reforço é considerada peça-chave para a diminuição de casos graves e de óbitos. “O reforço foi fundamental para diminuir a gravidade de pessoas que adoeceram. A circulação do vírus também deve diminuir. Nós estamos alcançando o menor patamar de novos casos desde o início da pandemia. A solicitação de internações continua caindo e também estamos observando uma redução do número de óbitos”, afirmou.

Fonte: Agência Minas

Receba nossas notícias direto no seu WhatsApp! Envie uma mensagem para o número (32) 99125-5754 ou pelo link https://wa.me/5532991255754

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo